Raimundo do Rosário, o embaixador discreto

O até aqui responsável pela representação de Macau em Lisboa e Bruxelas é apontado como novo secretário para os Transportes e Obras Públicas. Rosário é um engenheiro com perfil de diplomata. 

João Paulo Meneses

Raimundo do Rosário precisará de algum tempo para recuperar os conceitos aprendidos na faculdade de engenharia e que o tempo passado na política poderá ter feito esquecer.
Aquele que é dado como o novo secretário dos Transportes e Obras Públicas do Governo local, sucedendo a Lau Si Io, há muito que deixou a engenharia para trás, transferindo-se para a política: foi duas vezes deputado à Assembleia Legislativa, indicado por Rocha Vieira (entre 1992 e 1999), e é desde 2000 o chefe da Delegação Económica e Comercial de Macau (14 anos nas mesmas funções, portanto).
Ainda assim, a confirmar-se a informação de que será o novo secretário com a pasta das Obras Públicas, trata-se de um regresso a casa, já que foi nesse departamento que Raimundo do Rosário fez carreira no serviço público e ao qual se encontra ligado.
Afastado de Macau desde a transferência do exercício da soberania, Raimundo Arrais do Rosário regressa – por motivos profissionais – várias vezes por ano à RAEM e por força das competências, que não se resumem a Lisboa mas também incluem Bruxelas (União Europeia) e Genebra (Organização Mundial do Comércio). É alguém que conhece bem os principais dossiers de Macau – ainda que nas áreas económicas e políticas.
Em Dezembro do ano passado recebeu a medalha de mérito profissional, atribuída pelo Governo da RAEM.
Mas, pelo que foi fazendo nestes 14 anos, Raimundo do Rosário transformou-se sobretudo num diplomata – também é um adjectivo, que se aplica bem ao novo secretário, mas neste contexto significa mesmo um embaixador: foi o embaixador de Macau fora do Oriente.
Nesse sentido, em função do capital político adquirido pelo ainda chefe da Delegação Económica e Comercial de Macau em Lisboa, das muitas e muitas horas passadas em reuniões na União Europeia ou nos ministérios em Lisboa, talvez surpreenda a sua escolha como responsável das Obras Públicas, pasta que provavelmente estaria longe dos seus planos, caso equacionasse regressar a Macau.

Regresso às Obras Públicas

“Diplomata” é também uma palavra que se ajusta bem às características pessoais de Raimundo Arrais do Rosário.
Extraordinariamente calmo, é um conciliador por natureza e nestes 14 anos em Lisboa conseguiu resolver diversos dossiers, aliando paciência e eficácia.
No Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal Raimundo do Rosário é bem conhecido e respeitado – muito por força da capacidade de organização e seriedade que coloca na discussão dos temas. Mas Raimundo do Rosário junta estas qualidades a uma extraordinária descrição.
Apesar de várias vezes solicitado para isso, não terá dado mais do que três entrevistas – e sem surpresa não aceitou colaborar neste perfil.
Também sem surpresa, a página da delegação não inclui qualquer informação sobre o seu responsável e são muito escassos os dados biográficos.
Sabe-se, ainda assim, que o jovem Raimundo Arrais do Rosário concluiu a licenciatura em Engenharia Civil aos 22 anos e que fez estágios em várias empresas, como Brisa, e ainda no Laboratório Nacional de Engenharia Civil.
Regressou a Macau um ano depois do curso tirado na Faculdade de Engenharia do Porto e começou como técnico na repartição dos Serviços de Obras Públicas e Transportes, onde fui subindo até ao lugar máximo: de 87 a 90 foi o director dos Serviços, tendo, por inerência, desempenhado funções na Comissão de Terras, e tendo estado na delegação portuguesa ao Grupo de Terras Luso-Chinês.
Lançado desta forma na política, é com naturalidade que é convidado em 1991 para ser deputado à Assembleia Legislativa.
Esteve também no Comité de Redacção da Lei Básica da RAEM e integrou a equipa que preparou a criação da própria Região Administrativa Especial.

One comment

  1. Alem de tudo isso que eh apontado sobre este senhor Raimundo do Rosario(mais 1 dos TUBAROES de Macau!!), penso que seria bom ACRESCENTAR ao seu curriculum, que eh PROPRIETARIO de DUAS(2) CASAS PROPRIAS e de DEZOITO(18) PREDIOS!! Provavelmente terah mais mas, as “CAPAS ESCURAS” destes TUBAROES sao muito vastas e COBREM muita coisinha!! Portanto e quanto ahs GRANDES BRONCAS das canalizacoes dos predios de Macau, nao eh de admirar que ELE agora venha dizer publicamente “QUE EH MUITO COMPLICADO OU QUASE IMPOSSIVEL FAZER-SE UMA “INSPECCAO” AOS PREDIOS”!! Pois eh pois eh!! Ser-se proprietario de 18 predios nao eh la muito AGRADAVEL ou CONVENIENTE ficar sujeito a UMA INSPECCAO dessas!! Pois….iria DOER a muita “BOA GENTINHA” e COLEGAS SEUS que ocupam CARGOS SEMELHANTES e de GRANDE VALIA!! Enfim, nem vale a pena falar sobre a FEBRE DOENTIA que estes senhores agora(so agora?!) INVENTARAM quanto ah poluicao do tabaco!! Macau ESTAH CHEIA DE POLUICOES, FUMOS DE QUEIMADAS DE PAI SAN, FUMOS DE AUTOCARROS E OUTROS VEICULOS, LIXO ESPALHADO POR TODO O LADO C/RATAZANAS,BARATAS,MOSCAS E MOSQUITOS AH MISTURA e FESES DE CAO EM TODO O SITIO!!…e mais, PINGOS DE AGUA ACIDA dos AIR CON a pingar por todo o lado COMO SE FOSSE CHUVA MIUDINHA!! …mas eh claro, ISTO NAO TEM IMPORTANCIA ALGUMA!! …o que eh IMPORTANTE eh A LEI DO TABAGISMO!! …cambada de DOENTES MENTAIS!! Meu Deus!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s