Há mais 55 associações candidatas a eleger Chefe do Executivo

As eleições para colégio que vai escolher o próximo líder do Governo arrancam com 13 portugueses e macaenses.

Sónia Nunes

Apesar do aumento de 100 lugares na Comissão Eleitoral do Chefe do Executivo, há apenas mais 55 associações inscritas do que em 2009. O número de pessoas colectivas com direito a voto pelo sector industrial, comercial e financeiro continua abaixo do total de assentos disponível.

As eleições dos membros do colégio eleitoral do Chefe do Executivo estão marcadas para 29 de Junho. O processo começa com a inscrição das associações com capacidade eleitoral que pretendem propor candidatos para os sete grupos de interesse que compõem a comissão de 400 pessoas que irá escolher o próximo líder do Governo. Nas eleições deste ano inscreveram-se 676 organizações, entre as 825 que podiam exercer o direito de propositura e contra as 621 que avançaram em 2009.

A lista dos representantes das associações autorizadas a recolher os boletins de propositura para os membros da Comissão Eleitoral (cada um pode levantar tantos impressos quanto o número de assentos reservados ao sector) foi divulgada na segunda-feira pelos Serviços de Administração e Função Pública. Entre os mandatários das candidaturas, há 13 portugueses e macaenses – menos três do que em 2009.

No subsector da educação, com 21 organizações a lutar por 29 lugares no colégio eleitoral, voltam a destacar-se nos nomes dos ex-deputados José Manuel Rodrigues (Associação Promotora da Instrução dos Macaenses) e João Baptista Leão (Associação de Educação de Adultos de Macau). No grupo dos interesses profissionais, com 43 assentos, a Associação dos Advogados continua a ser representada por Jorge Neto Valente e Mónica Assis Cordeiro volta a dar a cara pela Associação do Pessoal de Enfermagem de Macau.

Rita Santos (Associação dos Trabalhadores da Função Pública) mantém-se pelo subsector do trabalho, com a disputa pelos 59 lugares a ser travada por 60 associações – mais quatro do que em 2009. Na ala dos serviços sociais, com direito a 50 assentos na Comissão Eleitoral, continuam também a figurar os nomes de António José de Freitas (Santa Casa da Misericórdia) e Francisco Manhão (Associação dos Aposentados, Pensionistas e Reformados de Macau), para dar alguns exemplos.

O desporto é o grupo que registou o maior pulo de associações inscritas – 257 para 17 lugares – seguido da cultura. O sector industrial, comercial e financeiro, com maior peso na composição do colégio eleitoral, é o único onde o número de associações interessadas em propor candidatos (81) é mais baixo do que os assentos disponíveis (120).

Cada associação tem direito a um número máximo de 22 votos. Os votantes são escolhidos entre os membros da direcção.

Nas últimas eleições, o número de candidatos propostos acabou por corresponder ao número de vagas disponíveis para os sete grupos de interesse.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s