China exibe em Zhuhai novo armamento da Força Aérea

FOTOGRAFIA ALEX PLAVEVSKI/EPA

A China apresentou ontem novo equipamento da Força Aérea, que inclui veículos aéreos não tripulados (“drones”) de vigilância ou ataque e aviões de guerra eletrónica, numa altura de crescentes tensões com os Estados Unidos.

A China apresentou ontem novo equipamento da Força Aérea em Zhuhai. A apresentação do armamento, durante a maior exibição aeroespacial da China, a “AirShow China”, que decorre em Zhuhai, cidade que faz fronteira com Macau, ocorre numa altura em que Pequim avança com o programa de modernização do exército, que espera concluir até 2035.

A China continua longe de ter o poderio militar dos Estados Unidos, que têm um orçamento de Defesa três vezes maior, mas está, aos poucos, a diminuir a lacuna, segundo observadores.

Um recente relatório produzido pelos serviços de informações norte-americanos expressou preocupação com a crescente influência de Pequim, que vê como a maior ameaça dos Estados Unidos. Entre as principais novidades exibidas em Zhuhai está o drone WZ-7, com 14 metros de comprimento e destinado a missões de reconhecimento e patrulha marítima.

O país apresentou ainda o J-16D, um caça dedicado à “guerra electrónica” – a deteção e destruição de transmissões de rádio e sistemas de comunicação.

Segundo especialistas citados pela imprensa chinesa, este avião pode atacar instalações de radar ou sistemas de detecção e comando aerotransportados.

Ambos os aparelhos estão já a ser utilizados pelo exército chinês e “desempenharão um papel importante no Estreito de Taiwan e no Mar do Sul da China”, afirmou o analista militar chinês Song Zhongping, citado pela agência France Presse. As reivindicações territoriais da China nestes territórios são regularmente frustradas pela passagem de navios de guerra norte-americanos.

Outra máquina apresentada ontem foi um protótipo do versátil “drone” de reconhecimento e ataque CH-6. Com 15 metros de comprimento e uma envergadura de mais de 20 metros, o veículo aéreo não tripulado deve realizar voos de teste em 2023.

Os construtores do “drone” estimam que possa operar a grande altitude (10.000 metros) e em alta velocidade (500-700 quilómetros por hora), durante 20 horas. O aparelho pode transportar radares, sistemas de reconhecimento, mísseis ou mesmo bombas ar – terra. Estes novos veículos aéreos permitem que as forças armadas chinesas observem e conduzam ataques em locais antes inacessíveis.

Perante a relutância dos países ocidentais em vender “drones” mais avançados a países que não sejam os aliados mais próximos, a China também se posiciona como um “fornecedor alternativo”, a preços acessíveis, apontou Kelvin Wong, da empresa britânica Janes, especializada em assuntos de Defesa.

“Drones” chineses já são usados por vários exércitos estrangeiros, incluindo a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos. O caça J-16D demonstra uma “melhoria geral” nas capacidades de combate da China, segundo James Char, especialista da Universidade Tecnológica de Nanyang, de Singapura. “Podemos falar de um avanço significativo, porque dá aos militares chineses uma vantagem em termos de guerra eletrónica aérea, contra alvos que têm capacidade de defesa aérea significativa”, descreveu.

De acordo com muitos especialistas, no entanto, a China ainda está atrás dos Estados Unidos, especialmente na qualidade dos motores dos seus aviões militares e no número de satélites de comunicação necessários para realizar operações. Mas, mesmo que Pequim continue a ser incapaz de projetar verdadeiramente o seu poder para além do continente chinês, vai ter um sistema de defesa marítima e aérea capaz de conter uma potencial ofensiva norte-americana, descreveu Justin Bronk, analista da firma britânica Royal United Services Institute.

Além de fabricantes de equipamentos militares, a exposição de Zhuhai reúne os principais grupos da aviação civil chinesa e mundial, como as construtoras Boeing e Airbus. Originalmente agendada para o final de 2020, a reunião, que se realiza a cada dois anos, foi adiada devido à pandemia.

Lusa

Leave a Reply

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s