Governo coloca Alemanha, França, Espanha e Japão sob nível 2 de alerta de viagem

FOTOGRAFIA: EDUARDO MARTINS

O Executivo decidiu colocar em nível 2 de alerta de viagem mais quatro países: Alemanha, França, Espanha e Japão. Com este nível de alerta, o Governo pede a quem vai para esses destinos que reconsidere a viagem. Na conferência de imprensa de ontem foi também adiantado que poderão ser acrescentados mais países à lista das zonas de alta incidência, mas não foram detalhados quais. 

André Vinagre

andrevinagre.pontofinal@gmail.com

Alemanha, França, Espanha e Japão estão agora sob nível 2 de alerta de viagem, adiantou ontem Inês Chan, da Direcção dos Serviços de Turismo (DST). Com este nível de alerta é sugerido a quem quiser viajar para estes destinos que reconsidere a viagem. Leong Iek Hou, coordenadora do Núcleo de Prevenção e Doenças Infecciosas e Vigilância da Doença, afirmou que o Governo deverá acrescentar mais países ou regiões à lista de zonas de alta incidência, mas não quis detalhar quais. Ontem, na conferência de imprensa de actualização de dados sobre os trabalhos relativos ao novo coronavírus, também se ficou a saber que uma residente que esteve em Espanha foi colocada em isolamento no Centro Clínico de Saúde Pública do Alto de Coloane, juntamente com o marido.

Inês Chan começou por explicar: “Quanto aos níveis de alerta para viagens, temos uma classificação de três níveis. Nível 1, um nível de alerta para as pessoas terem atenção quando se deslocam a esses destinos; nível 2, recomendamos que as pessoas reconsiderem o plano de viagem; nível 3, inibição total da ida a esses locais”. Depois, a responsável da DST anunciou que Japão, França, Alemanha e Espanha foram colocados no nível 2.

Durante a tarde de ontem, o Gabinete de Gestão de Crises de Turismo (GGCT) emitiu um comunicado oficial: “O GGCT alerta aos residentes de Macau que planeiem viajar ou que se encontrem naqueles países, para reconsiderar a viagem neste momento. É sugerido que se evitem viagens não essenciais neste período para aqueles destinos”.

Até ao fecho desta edição, a Alemanha tinha 1.613 casos confirmados, França tinha 1.784, Espanha tinha 2.067 casos e o Japão contava com 587. Estes países juntam-se a outros quatro que já estavam no nível 2 de alerta, são eles: Itália, Coreia do Sul, Turquia e Egipto. No primeiro nível de alerta, o GGCT colocou Bali, na Indonésia, Sri Lanka, ilha de Luzon, nas Filipinas, Bélgica, Israel, Nepal, Tunísia e Reino Unido.

Além disso, o Governo tem uma lista de zonas de alta incidência epidémica: Coreia do Sul, Itália, Irão, Alemanha, França, Espanha e Japão. Quem chegar a Macau proveniente destes destinos terá de ficar 14 dias em isolamento. Leong Iek Hou indicou que o Executivo deverá adicionar mais países a esta lista. “Considerando os vários elementos, estamos a pensar integrar alguns países na lista de alta incidência”, disse, não detalhando quais. Segundo a responsável, ainda terão de ser pesados factores como “o ritmo dos casos” ou a “concentração de casos numa determinada cidade”.

QUARENTENA PARA RESIDENTE QUE CHEGOU DE ESPANHA

Além dos 57 residentes de Macau que estavam em Hubei e que chegaram no sábado passado, o Centro Clínico de Saúde Pública do Alto de Coloane tem agora mais cinco pessoas. Entre eles, um casal cuja mulher esteve em Espanha e, na viagem para Macau, fez escala na Alemanha. O homem não esteve em Espanha mas, por ser considerado um caso de contacto próximo, também foi colocado em isolamento.

Segundo Lo Iek Long, médico do Centro Hospitalar Conde de São Januário, a mulher tinha febre e tosse. No entanto, o primeiro teste de ácido nucleico realizado ao casal deu negativo. Amanhã, deverão fazer novo teste de ácido nucleico. “Hoje [ontem], a senhora já não tem febre”, adiantou o clínico.

A este casal vai-se juntar um outro que, entre os dias 27 de Fevereiro e 7 de Março, esteve no Egipto. Fizeram a viagem de regresso no mesmo voo onde esteve um residente de Hong Kong que mais tarde foi diagnosticado com o Covid-19. São, assim, considerados casos de contacto próximo e, apesar de os testes preliminares terem dado negativo, vão ser isolados no Alto de Coloane.

Também no Centro Clínico do Alto de Coloane estão em isolamento três residentes que tinham sido diagnosticados com o coronavírus e que entretanto tiveram alta hospitalar. Um deles deverá sair hoje da quarentena a que esteve sujeito posteriormente a ter tido alta. Lo Iek Long detalhou as indicações dadas pelos Serviços de Saúde a quem sair do isolamento: “Aconselhamos a que as pessoas fiquem no quarto em casa, devem continuar a usar máscara, devem manter uma distância de 1,5 metros para as outras pessoas, devem medir a temperatura corporal duas vezes por dia”. 

Além disso, as autoridades de saúde vão contactar essas pessoas diariamente para perceberem em que estado físico estão. No total, estão 62 pessoas no Centro Clínico do Alto de Coloane. Na Pousada Marina Infante estão, em isolamento, 259 pessoas, 231 das quais são trabalhadores não-residentes, que, se tiverem estado na China continental, têm de cumprir um período de isolamento.

 


DSEJ e o reinício das aulas: “Não temos condições para esperar até haver zero casos no mundo”

Questionado sobre as críticas de alguns pais relativas à data para o reinício das aulas, que está programado para o dia 20 de Abril, Wong Kin Mou, chefe do Departamento de Estudos e Recursos Educativos da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ), respondeu: “Não temos condições para esperar até haver zero casos no mundo, por isso, é necessário avaliar os riscos”. O representante da DSEJ justificou, dizendo: “Agora estamos a ter em conta os locais a que damos mais importância e, nesses locais, a situação está atenuada”. O responsável referia-se às cidades vizinhas de Zhuhai e Zhongshan, onde há mais de 20 dias que não se registam novos casos. Wong Kin Mou indicou ainda que há cerca de três mil alunos que estudam em Macau e que vivem no interior da China. Além disso, há ainda 300 docentes e funcionários das escolas. “Há muitos alunos transfronteiriços que moram nestas cidades [Zhuhai e Zhongshan], por isso é que damos muita importância à evolução da epidemia nestas duas cidades”, afirmou. Ao contrário do que foi publicado na edição de ontem do PONTO FINAL, devido a declarações proferidas pela secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, os infantários estão também abrangidos pela data avançada pelo Governo para o recomeço das aulas, 20 de Abril. As creches, por seu lado, não estão abrangidas e ainda não há data prevista para a sua reabertura. A DSEJ reforçou que a data apontada é apenas uma estimativa e que pode vir a ser alterada. A data final para a reabertura das escolas e dos infantários será confirmada no final deste mês.

A.V.

 


Exame médico para quem esteve na Noruega nos últimos 14 dias

As pessoas que estiveram na Noruega nos 14 dias anteriores à entrada em Macau serão sujeitas a exame médico a partir de hoje, foi ontem anunciado. “A partir das 12 horas do dia 12 de Março de 2020, passa a exigir a todos os indivíduos que tenham estado na Noruega, nos 14 dias anteriores à entrada em Macau, que sejam sujeitos a exame médico”, pode ler-se num comunicado do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus emitido na noite de ontem. A razão desta tomada de decisão tem a ver com a recente “evolução epidémica do coronavírus Covid-19 na Noruega, que se tornou mais grave”, acrescenta o comunicado. A Noruega registou ontem mais 56 casos confirmados do novo coronavírus, para um total de 456.

 

Leave a Reply

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s