Multa à Surf Hong: ID estima que resultado final venha a ser conhecido em 30 dias

Fotografia: Eduardo Martins/Arquivo

Pun Weng Kun, presidente do Instituto do Desporto (ID), disse ontem, à margem da conferência de imprensa acerca das alterações de trânsito a propósito do Grande Prémio, que estima que o resultado final do processo da multa à empresa Surf Hong seja conhecido nos próximos 30 dias. “Estes 30 dias são só uma estimativa. Podem ser 20 e tal ou podem ser mais de 30. Não garantimos que dentro de 30 dias tenhamos uma decisão”, esclareceu. O governante explicou ainda que agora a empresa tem 10 dias para responder às acusações do ID.

Recorde-se que o próprio presidente do ID tinha avançado no passado domingo com o valor da multa a aplicar à Surf Hong: cerca de 10 milhões de patacas. Esta sanção deve-se aos dias cujo funcionamento das piscinas públicas foi afectado pela greve dos trabalhadores, que se queixavam de salários em atraso e horas-extras não pagas. Contactado pelo PONTO FINAL na passada segunda-feira, o instituto confirmou que a Surf Hong já tinha sido notificada.

“De facto, ontem [segunda-feira] fizemos um auto sobre a multa a essa empresa e, de acordo com a lei, a empresa tem agora 10 dias para apresentar as suas respostas. Depois de recebermos a resposta, vamos entregá-la aos nossos juristas para fazerem a respectiva análise e depois vamos tomar uma decisão concreta sobre a multa”, disse Pun Weng Kun. O presidente do ID confirmou também que o valor da multa deverá ser superior aos dez milhões de patacas. Sobre o contrato de concessão, que termina no próximo ano, Pun Weng Kun disse apenas que, “caso necessário, teremos de encontrar outra empresa”.

Também ontem, a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) emitiu uma nota sobre o conflito laboral entre a Surf Hong e os 24 trabalhadores que fizeram greve em Agosto, dizendo que será aplicada uma multa à empresa no valor de 230 mil patacas. “Nos termos da Lei das Relações de Trabalho, se o empregador não proporcionar ao trabalhador tempo de descanso suficiente, será punido com multa de 10 mil patacas a 25 mil patacas por cada trabalhador em relação ao qual se verifica a infracção”, lê-se no comunicado.

A DSAL esclarece ainda que não recebeu qualquer queixa nem pedido de assistência de nenhum nadador-salvador que tenha sido despedido pela empresa por ter feito greve, como o deputado Sulu Sou tinha denunciado.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s