Curtas de Maxim Bessmertny para ver à escolha do freguês na Vila da Taipa

O realizador Maxim Bessmertny vai tocar ao vivo a banda sonora de uma das suas curta-metragens na quarta-feira, 18 de Abril, dia em que é estreada também outra das suas curtas, “The Great Debt”, na Associação Cultural da Vila da Taipa. A estreia e o concerto marcam o arranque de uma mostra da obra do realizador de Macau intitulada “Degustação”. Entre 18 de Abril e 31 de Maio, o público pode visitar a galeria de arte e escolher no menu da televisão o filme que deseja ver.

 

Cláudia Aranda

 

A Associação Cultural da Vila da Taipa vai iniciar na quarta-feira, 18 de Abril, entre o meio-dia e as 20h, uma mostra de curtas-metragens do realizador, argumentista e produtor Maxim Bessmertny, na galeria Taipa Village Art Space, situada na zona antiga da Taipa. No dia da inauguração, quarta-feira, vai ser estreada a curta-metragem de três minutos “The Great Debt”, de 2016,” e o realizador vai tocar ao vivo as músicas da banda sonora da curta de oito minutos “Death of a Parrot”, de 2017. À mostra associa-se uma exposição de cartazes dos filmes.

A mostra intitula-se “Degustação”, “uma metáfora” para descrever “uma experiência degustativa”, concebida com produtos locais, neste caso os filmes selecionados e outras tantas produções comerciais do realizador de Macau de origem russa, explicou ao PONTO FINAL o arquitecto João Ó, presidente da associação.

“São curtas-metragens, com uma duração entre cinco e oito minutos, que traduzem uma palete de degustação de filmes escolhidos que as pessoas podem visualizar chegando e escolhendo no menu da televisão o que querem ver”, acrescentou. Esta forma de visualização das curtas-metragens é também uma experiência nova na oferta cultural da associação, disse João Ó, permitindo assistir na galeria a filmes que podem ser vistos à escolha e vontade do freguês.  

Entre 18 de Abril e 31 de Maio vai ser possível ver filmes como “Tricycle Thief”, de 2014, “The Great Debt”, de 2016, “Death of a Parrot”, de 2017, e “Sampan”, também de 2017.

 

 

Em termos cinematográficos, os filmes de Maxim Bessmertny “respiram a essência da diversidade cultural de Macau e dos ambientes urbanos contrastantes”, diz João Ó no comunicado da organização. Os filmes de Bessmertny, espelham “uma tensão descontraída” entre uma elite, impulsionada por uma economia movida pelos casinos, e as massas, caracterizadas pela classe trabalhadora local que ainda ganha a vida através das lojas e comércios tradicionais.

Maxim Bessmertny completou um mestrado em Produção de Cinema na Tisch School of the Arts da Universidade de Nova York. Em 2013 fundou a Pontus Maximus Productions, uma empresa de filmes independentes, co-produziu, escreveu e dirigiu a curta-metragem “Tricycle Thief”. O filme fez a estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Toronto em 2014, ganhou o ‘Gold Award’ para a melhor curta-metragem no Programa de Bolsas para Estudantes da Kodak de 2015, tendo sido exibido em Macau, Hong Kong e Médio Oriente. A curta de 18 minutos conta a história de um condutor de riquexós, que embarca numa busca desesperada por dinheiro. O filme mostra a paisagem nocturna de Macau, de cores saturadas, ruas escuras, becos e letreiros de luzes de néon, explorada através de uma viagem conduzida pelo protagonista do filme.

O realizador associou-se recentemente a uma empresa de Macau para produzir “What’s Your Art?”, um mini-documentário dedicada a personagens excêntricos residentes em Macau.

Leave a Reply

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s