Centros de saúde de Macau recebem acreditação do Conselho Australiano de Normas de Saúde  

 

Os Centros de Saúde de Macau obtiveram aprovação em todos os 26 critérios de avaliação a que estavam sujeitos pelo Conselho Australiano de Normas de Saúde. Em dois deles, o organismo australiano atribuiu a classificação de “realização excessiva” nos parâmetros da gestão do registo de saúde e de satisfação das necessidades de utentes de diferentes origens.

1.Saude.jpg

Os sete centros de saúde do território receberam ontem os certificados de acreditação por parte do Conselho Australiano de Normas de Saúde (ACHS, na sigla inglesa). As unidades obtiveram aprovação em todos os 26 critérios de avaliação das três áreas submetidas a escrutínio: assistência médica na clínica, serviços de apoio e administração institucional.  O sub-director dos Serviços de Saúde, Cheang Seng Ip, atribuiu estes resultados ao “esforço conjunto” desenvolvido pelo Governo e pelo corpo clínico do território e espera que o organismo possa continuar a trabalhar “para proceder à modernização e desenvolvimento do conhecimento médico”.

No discurso que ontem efectuou, o director executivo do ACHS, Desmond Yen, sublinhou a migração do papel para o digital empreendida pelos Serviços de Saúde e a informatização dos sistemas e serviços, assim como o programa “A minha saúde, depende de mim”. Como explicou Cheang Seng Ip, com a criação de postos de auto-medição nos centros e postos de saúde, “os cidadãos podem fazer a medição da tensão arterial, de peso e de altura em coordenação com uma aplicação móvel para registo e carregamento imediato das informações no processo individual de saúde”.

Os sete centros de saúde afectos aos Serviços de Saúde – as unidades dod Tap Seac, de Macau Norte, do Porto Interior, de São Lourenço, da Areia Preta, dos Jardins do Oceano e de Nossa Senhora do Carmo-Largo – foram alvo de uma avaliação pelo ACHS entre os dias 19 e 22 de Junho. Os resultados foram ontem tornados públicos e revelam que as sete unidades obtiveram aprovação nos 26 critérios de avaliação e, em dois deles, foi recebida a classificação de “realização excessiva”. Foram eles a gestão do registo de saúde e a satisfação das necessidades de utentes de diferentes origens.

No que diz respeito ao parâmetro da gestão do registo de saúde, a organização australiana destaca o processo de informatização com a implementação electrónica dos processos clínicos, receitas médicas, análises, requisição de análises laboratoriais e registo de vacinas. No âmbito deste processo foi ainda criada uma plataforma entre o Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ), os centros de saúde e o Hospital Kiang Wu que congrega e dá acesso mútuo a uma parte dos dados e historial clínico dos pacientes.

Os critérios de avaliação tiveram por base o “Programa de avaliação e melhoria de qualidade EQuIP6” que é, por sua vez, uma versão actualizada do seu antecessor. O EQuIP6 mantém as três áreas funcionais do quinto modelo – clínica, de apoio e de colaboração – e conta com 10 critérios e outros 26 subcritérios, dos quais 15 são de aprovação obrigatória.

Em Março último, o Centro Hospitalar Conde de São Januário recebeu pela segunda vez a acreditação do ACHS. Na altura, o organismo australiano apontou como aspectos a melhorar a redução das listas de espera através da criação de consultas externas nocturnas e também a criação do Centro de Avaliação Conjunta Pediátrica e do Centro de Avaliação e Tratamento da Demência, ambos já em funcionamento.

Ontem, os Serviços de Saúde referiram que “pouco tempo” após o anúncio da atribuição da acreditação ao Centro Hospitalar Conde de São Januário foi anunciado o alargamento das consultas e dos exames para períodos nocturnos: “Neste momento estão a haver consultas de cardiologia após o período normal de funcionamento, inclusivamente avaliação de imagiologia e exames radiográficos que também são feitos durante o fim-de-semana. Com esta abertura, até nos centros de saúde, as listas de espera têm vindo gradualmente a diminuir”, indicaram os serviços.

Seis centros de saúde de Macau receberam a “Acreditação de Centros Clínicos Diurnos” do ACHS pela primeira vez em 2014. Com a criação do Centro de Saúde de Nossa Senhora do Carmo – Lago em 2015, este ano foram sete as unidades que receberam a acreditação internacional.

O Conselho Australiano de Normas de Saúde é uma organização internacional independente, sem fins lucrativos e com mais de 40 anos de existência. Este organismo é reconhecido pela Sociedade Internacional para a Qualidade de Cuidados de Saúde que, por sua vez, é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s