Condutor que agrediu taxista de 60 anos, após acidente, acusou 1,61 g/l

O homem que agrediu um taxista estava a conduzir sob o efeito do álcool, e na altura de fazer o teste, ainda no local, acusou uma taxa de 1,61 g/l de álcool no sangue. Na origem das agressões esteve uma discussão sobre o pagamento das despesas e compensação pelo sinistro.

João Santos Filipe

joaof.pontofinal@gmail.com

O homem que foi filmado a agredir um taxista, após um acidente entre uma carrinha e um táxi, acusou uma taxa de 1,61 g/l no teste de álcool. A informação foi avançada, ontem, pela Polícia de Segurança Pública (PSP), ao PONTO FINAL, que revelou que o caso já foi entregue ao Ministério Público.

O agressor tem o apelido Choi, tem 29 anos, e é residente e foi o responsável pelo sinistro, quando bateu por trás no táxi, com uma carrinha branca, por volta das 08h30 da manhã de quarta-feira, na Avenida Tamagnini Barbosa. Foi quando as duas partes começaram a negociar as despesas e a indemnização, que Choi perdeu o controlo e partiu para as agressões, que podem ser vistas no vídeo, que foi divulgado, horas mais tarde, através da rede social Facebook.

Do acidente, que aconteceu junto à casa n.º 67 da Avenida Tamagnini Barbosa, não resultaram feridos, mas o taxista de 60 anos acabou por ser agredido e transportado para o hospital, onde recebeu tratamento. O caso só foi mesmo resolvido com a chegada de um agente das autoridades, que repôs a ordem pública.

“O condutor Choi, por não concordar com o valor referido pelo taxista, começou a discutir com  o mesmo e, por seguinte, agrediu o taxista com vários socos e pontapés, até à chegada ao local de um agente policial do trânsito”, disse, fonte da PSP, ao PONTO FINAL.

“Como o agente policial se deparou com fortes indícios de que Choi tinha ingerido álcool, pediu-lhe para efectuar, no local, o exame de alcoolemia, tendo assim resultado em 1.61g/l, enquanto o taxista resultou em 0 g/l”, acrescentou a mesma fonte.

Quando o residente de 29 anos foi levado à esquadra, acabou por confessar o crime e pediu desculpas ao outro condutor. “Choi confessou a condução sob influência de álcool, assim como a agressão ao taxista, que foi encaminhado para o hospital, tendo alta após receber tratamento”, foi explicado.

“No Comissariado de Trânsito, Choi pediu desculpas ao taxista, e ambos chegaram a um acordo sobre as despesas, indemnização de prejuízos e reparação do táxi. O taxista declarou não desejar procedimentos judiciais contra Choi”, foi acrescentado.

Apesar de evitar as acusações de agressão, por parte do taxista, Choi vai mesmo ter de ir a tribunal, uma vez que conduzir sob a influência de álcool é um crime público.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s