Adiada leitura de sentença de casal de portugueses retido em Díli

Pela segunda vez esta semana, os arguidos Tiago e Fong Fong Guerra viram o Tribunal de Díli adiar a leitura do acórdão num julgamento cujo caso se arrasta desde Outubro de 2014, quando o casal foi detido pela primeira vez em Díli.

O novo adiamento, agora para 11 de Agosto, foi solicitado depois de a defesa ter apresentado um requerimento ao tribunal a pedir que fosse chamado um especialista para clarificar divergências sobre duas transferências feitas a partir de uma conta em Macau.

“A defesa considera que pode haver eventualmente divergências ou dificuldade nas análises dos documentos relativos a duas transferências efectuadas pela Olive Macau, usando uma conta titulada junto do BNU Macau para os Estados Unidos”, explicou Álvaro Rodrigues, um dos advogados de defesa.

“Tais transferências foram executadas nos termos da execução de um acordo Escrow”, sublinhou, pedindo por isso ao tribunal a “indicação de um perito bancário ou com conhecimentos na área, no sentido de analisar os documentos” em causa.

O tribunal disse que vai notificar o Banco Central de Timor-Leste para que indique um especialista em transferências internacionais que possa falar na sessão do dia 11 de Agosto e ajudar a clarificar o assunto.

A sessão de leitura da sentença, suscitou bastante interesse e na sala principal do Tribunal Distrital de Díli estavam várias individualidades, incluindo o ex-Presidente timorense José Ramos-Horta, representantes do corpo diplomático, incluindo das embaixadas de Portugal e da União Europeia, do Banco Mundial e das Nações Unidas, entre outros.

Nas alegações finais, e para os crimes de peculato e branqueamento de capitais o Ministério Público pediu penas de prisão de 8 anos para cada um dos dois arguidos, além de o pagamento de uma indemnização no valor de 859.706 dólares com juros desde 2011.

A defesa, por seu lado, pediu a absolvição, considerando que depois das sete sessões do julgamento “a acusação não conseguiu provar factos que possam incriminar e conduzir à condenação” dos arguidos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s