Co-organizador da Taça Mundial de GT elogia programa de corrida em Macau

Stephane Ratel elogiou a decisão da Comissão Organizadora de aumentar o intervalo entre a prova para carros de GT no Domingo e a corrida de Fórmula 3. O objectivo passa por garantir que as duas corridas se realizam sem condicionamentos.

1.Macau GT Cup.jpg

Stephane Ratel, cuja empresa homónima é co-organizadora da Taça Mundial FIA GT, elogiou o novo programa apresentado pela Comissão do Grande Prémio de Macau. Em causa está o facto de no Domingo da edição deste ano haver um intervalo maior, em comparação com o ano passado, entre a prova de GT e a Taça Mundial de Fórmula 3. O objectivo desta alteração passa por permitir que a corrida de GT possa ser disputada na totalidade, ou seja com uma extensão total de 18 voltas, mesmo no caso de haver interrupções: “Queremos que a corrida [de GT] seja disputada na sua totalidade. Como o programa vai ter menos um evento no Domingo, há uma maior flexibilidade no horário para que isso aconteça”, disse Stephane Ratel, ao  jornal Autosport.

A alteração surge depois de no ano passado a Taça do Mundo de GT ter terminado numa situação de bandeiras vermelhas. Numa prova altamente conturbada, com duas interrupções, o piloto da Audi, Laurens Vanthoor, foi declarado o vencedor, mesmo depois de ter capotado o carro na última volta. O facto de no programa não haver tempo para recomeçar a prova, fez que mesmo com um carro completamente destruído o belga saísse beneficiado com o acidente.

Este ano a corrida de GT está agendada para as 12h10 de Domingo, estando previsto que termine por volta das 13h40. Por sua vez, a prova de Fórmula 3 está agendada para as 15h30, um intervalo de tempo que deve ser suficiente para garantir que as duas provas se realizem sem condicionamentos.

Ao mesmo tempo, a partir de 2018 vai igualmente ser criada uma Taça Mundial de GT para amadores, o que faz com que a prova em Macau seja exclusivamente para pilotos profissionais: “É lógico que se vamos fazer uma taça mundial para amadores e equipas com pilotos clientes, que façamos de Macau uma prova só para pilotos profissionais e construtores”, explicou Ratel sobre a nova filosofia da prova. “É algo que faz parte do crescimento natural deste evento e que vai ajudar torná-lo mais simples”, frisou.

Contudo, a nova aposta também cria mais desafios: “Vai fazer com que seja mais complicado reunir um conjunto de pilotos e equipas para a grelha de partida, até porque esta prova começou num formato para amadores. Mas estamos confiantes porque o novo formato vai ser mais atractivo para os construtores”, explicou o co-organizador.

Com as novas alterações, os inscritos deixam igualmente de estar sujeitos ao pagamento de uma taxa de inscrição. Ao mesmo tempo, todos os participantes podem vencer a Taça do Mundo.

Outras alterações ainda no decorrer na próxima edição prendem-se com a introdução de novos correctores na curva R e na curva do Mandarin Oriental, que são mais seguros para os carros de Gran Turismo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s