CAEAL deixa aviso contra votação “online” que simula resultado das eleições

Uma votação “online” que procura simular o resultado das eleições e aferir a popularidade dos candidatos está sob o radar das autoridades, depois da Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa ter pedido para investigar o assunto. Na próxima semana,  o organismo liderado por Tong Hio Fong vai reunir-se com os candidatos, antes de tornar efectivas as listas candidatas ao escrutínio de 17 de Setembro.

3.Tong

João Santos Filipe

 

Uma plataforma electrónica que indaga os residentes a propósito do candidato em que vão votar e que simula os resultados das eleições está a ser investigado pelas autoridades, a pedido da Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL). O facto foi avançado ontem pelo presidente da comissão, Tong Hio Fong, que apela aos eleitores que não alinhem na estratégia, nem forneçam os dados pedidos.

“Na reunião discutimos sobre esse jogo porque pode haver irregularidades no que diz respeito à campanha eleitoral. O jogo não é novo. Vamos encaminhar o caso à Polícia Judiciária, para que eles façam uma investigação e acompanhem o caso”, afirmou, ontem, Tong, após mais uma reunião da CAEAL no Edifício da Administração Pública. “Gostava de alertar todos os cidadãos, e não apenas os eleitores, para evitarem participar nesse tipo de jogo, porque por um lado, pode envolver os dados pessoais e, por outro, questões de responsabilidade jurídica”, acrescentou o magistrado.

O presidente da Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa não disse que artigos da lei estavam em causa, mencionando, no entanto, a preocupação com a possibilidade dos eleitores poderem vir a ser manipulados: “Se é mostrado que a posição de uns candidatos que é superior à de outros, depois pode afectar os votos nos outros candidatos e os eleitores na altura da votação. É uma infracção às regras da campanha eleitoral”, apontou.

 

Sufrágio directo com menos dois candidatos

 

Numa das últimas reuniões da Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa, o organismo revelou que quatro das 25 listas que se apresentaram pelo expediente do sufrágio directo não cumpriam os requisitos por duas razões: nomeação de candidatos não cumprem as estipulações legais para participarem nas eleições e falta de informação sobre os candidatos.

As listas com problemas devido a candidatos inelegíveis foram a “Cor de Rosa, Amar a População”, liderada por Lei Kit Meng, e a “Linha de Frente dos Trabalhadores de Casinos”, de Cloee Chao: “Uma candidata foi substituída. No outro caso, o candidato desistiu. Mas os requisitos para as listas concorrerem estão agora reunidos”, disse Tong.

Nos casos de falta de informação, a lista Ajuda Mútua Grassroots corrigiu os problemas, mas a candidatura “Novas Ideais de Macau”, liderada por Carl Ching, deixou cair o candidato Wong Wai Man.

 

Tong Hio Fong abordou igualmente as investigações à lista “Novas Ideais de Macau”, devido a um caso de alegada falsificação de assinaturas, explicando que antes de ser tomada qualquer medida é necessário esperar pelo resultado das averiguações.

Neste momento, pelo sufrágio directo estão, então, inscritos 193 candidatos, quando anteriormente eram 195, num total de 25 listas. Os candidatos vão ter uma reunião na próxima segunda-feira com membros da CAEAL e do CCAC sobre a lei eleitoral e esclarecer eventuais dúvidas.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s