DSAT: “Os taxistas também precisam de ter um rendimento razoável”

O director da Direcção de Serviços para os Assuntos de Tráfego, Lam Hin Sam, defendeu ontem que a subida das tarifas cobradas pelos taxistas do território é razoável. No entanto, o responsável quer ver implementado um aumento das multas e defendeu que compete ao sector melhorar a qualidade do serviço.

taxi-macau

João Santos Filipe

O director da Direcção de Serviços para os Assuntos de Tráfego, Lam Hin Sam, considerou ontem que a subida das tarifas cobradas pelos taxistas é razoável. O responsável pela Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego justificou a actualização com vários factores, como o Índice de Preços no Consumidor, os preços da gasolina e o aumento dos rendimentos dos cidadãos: “É muito difícil encontrar um equilíbrio [entre os diferentes interesses]. Para a actualização de tarifas de táxis, também vimos que nos territórios vizinhos houve aumentos. Os taxistas também precisam de ter um rendimento razoável”, afirmou o director da DSAT. “Fizemos uma actualização razoável. É difícil satisfazer todas as pessoas”, acrescentou.

A partir de domingo, a bandeirada paga nos carros de aluguer do território pelos primeiros 1.600 metros aumenta das 17 para as 19 patacas. A subida representa um acréscimo de 11,76 por cento, enquanto o sector pretendia aumentos na ordem dos 17,65 e 25,49 por cento.

A contagem de fracções passa a ser de 2 patacas por 240 metros, quando anteriormente era de 2 patacas por 260 metros. Este é um aumento de 8,33 por cento, contra o de 18,18 por cento proposto por 13 associações do sector.

Ao mesmo tempo, há uma nova taxa adicional de 5 patacas para a tomada de passageiros no Terminal Marítimo da Taipa e no Campus da Universidade de Macau.

 

DSAT quer melhor serviços e multas mais altas

 

Ontem o director da Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública  fez também questão de sublinhar que é necessário que o sector corresponda às expectativas da sociedade e aumente a qualidade do serviço.

“Depois das actualizações, os taxistas têm de melhorar o serviço. Existe um consenso na sociedade sobre isso. Também em conjunto com a polícia temos reforçado o combate às ilegalidades, e há menos casos agora. Mas a multa de 1.000 patacas não é suficiente [como efeito dissuasor]”, explicou Lam Hin Sam.

No entanto, o responsável da DSAT admitiu que a nova lei que vai regular o funcionamento dos táxis só vai chegar à Assembleia Legislativa depois das eleições de 17 de Setembro.

Lam Hin Sam ainda frisou que o caminho passa por aumentar o número de táxis em circulação, como aconteceu em Abril, quando foram colocados a circular 150 rádio-táxis: “Actualmente existem 1600 táxis, mais 250 do que em 2015. É uma subida razoável”, apontou.

A implementação de um mecanismo de actualização periódico para as tarifas foi igualmente abordado, mas o governante reconheceu que o assunto não tem o apoio da sociedade.

Finalmente, o responsável da DSAT congratulou-se com os resultados das mudanças registadas nos autocarros, que diz estarem a produzir resultados muito positivos: “Até os cidadãos nos dizem que é mais fácil apanhar um autocarro agora, mesmo nas horas de ponta”, salientou.

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s