Amigos de Liu Xiaobo temem pela liberdade de Liu Xia

O Governo central assegura que a mulher do Prémio Nobel da Paz é livre, mas os amigos de Liu Xiaobo, falecido na quinta-feira na cidade de Shenyang, garantem que Liu Xia está sobre vigilância constante do regime. Pequim asseguram que a mulher do activista sente “um enorme pesar” pela morte do marido e quer apenas que não a incomodem.

liuxiaobo2

As autoridades chinesas garantiram no sábado que Liu Xia, a viúva do Nobel da Paz Liu Xiaobo, “é livre”, mas os amigos mais próximos têm denunciado que não podem contactá-la e que está sob vigilância do regime.

“O governo chinês vai proteger os direitos legítimos de Liu Xia com base na lei”, garantiu durante o fim-de-semana Zhang Qingyang, porta-voz da agência de informação do governo da cidade de Shenyang, onde o vencedor do Prémio Nobel da Paz de 2010 morreu na quinta-feira vítima de cancro do fígado.

Questionado sobre se Liu Xia poderá viajar para o estrangeiro como pretende, Zhang respondeu que a viúva do Nobel da Paz “é livre”, mas que neste momento sente um “enorme pesar” pela morte do marido e as autoridades “respeitaram o seu desejo de não ser incomodada”.

Estas declarações foram feitas durante uma conferência de imprensa em que se anunciou que Liu Xiaobo tinha sido cremado depois de uma cerimónia “privada” após a sua morte na quinta-feira num hospital com fortes medidas de segurança.

O regime comunista garante que a família decidiu cremar o corpo e celebrar “um funeral simples”, uma versão que os amigos da família refutam, assegurando que Liu Xia está sob estrito controlo das forças de segurança. O irmão do Nobel da Paz disse numa conferência de imprensa em Shenyang que as cinzas de Liu Xiaobo foram atiradas ao mar.

Depois da morte do activista e dissidente chinês, todas as atenções estão postas na viúva, já que as pessoas mais próximas têm alertado para a fragilidade do seu estado de saúde depois de ter passado os últimos sete anos em prisão domiciliária sem ter sido acusada de qualquer delito.

Corpo cremado, cinzas deitadas ao mar

O corpo de Liu Xiaobo foi cremado no sábado numa “cerimónia simples”, de acordo com um comunicado das autoridades locais.

O governo da cidade de Shenyang, no nordeste da República Popular da China, indicou num comunicado que a cremação aconteceu no sábado de manhã, numa cerimónia em que terão comparecido família e amigos.

O destino dado aos restos mortais do preso político mais conhecido da China aconteceu “conforme a vontade dos membros da sua família”, indicaram as autoridades. A mulher de Liu, Liu Xia, e outros familiares têm sido vigiados pelas autoridades chinesas e, em grande medida, impedidos de comunicar com o resto do mundo, ainda que as autoridades de Pequim garantam que os visados são livres.

Liu morreu na quinta-feira, vítima de um cancro no fígado. Governos estrangeiros e apoiantes do Nobel da Paz instaram a China a libertá-lo e à sua mulher – em prisão domiciliária – para permitir que procurassem tratamento médico fora do país, mas Pequim recusou os pedidos.

Liu Xiaobo morreu aos 61 anos, depois de ter passado mais de oito na prisão, condenado por subversão pelo seu trabalho como ativista pelos direitos humanos e por reformas na República Popular da China.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s