“A responsabilidade é do empreiteiro”, diz Angela Leong

Angela Leong atribui a responsabilidade pela morte de um trabalhador, na passada semana, no terreno onde vai erguer um parque temático, à construtora responsável pela obra. A empresária e deputada – que desconhece ainda quando poderá retomar os trabalhos no empreendimento – diz ter dado indicações ao empreiteiro para que acompanhe de perto a família da vítima.

 

Sílvia Gonçalves

Angela Leong não sabe quando serão retomados os trabalhos de construção de um parque temático no terreno da Taipa de que é proprietária, depois da obra ter sido suspensa pela Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) na passada semana devido à morte de um trabalhador, alegadamente devido a um golpe de calor. A directora executiva da SJM Holdings – que esclareceu que o terreno em causa não tem qualquer ligação à SJM, mas a uma outra sua empresa, a Theme Park – salientou que a responsabilidade pelo acidente fatal ali decorrido pertence ao empreiteiro, a quem diz ter dado indicações para acompanhar de perto a família da vítima. Também dependente da decisão da DSAL, diz a deputada, está o retomar de trabalhos no empreendimento Grand Lisboa Palace, igualmente suspensos devido à morte de um trabalhador no passado mês de Junho.

“Sei do assunto, já falei com o construtor responsável por esta obra e tudo está em processo de investigação e de indemnização. Tenho confiança que rapidamente se vai resolver o problema”, declarou ontem Angela Leong ao PONTO FINAL, à margem da entrega de prémios da exposição “Y Show”. A empresária e deputada esclareceu que o terreno onde decorrem os trabalhos para a construção de um parque temático não tem qualquer ligação à SJM Holdings, de que é directora executiva: “Este terreno não tem nada a ver com a SJM, é da Theme Park, que é outra empresa minha”.

Questionada sobre se, independentemente da investigação que decorre na DSAL, a Theme Park está a proceder a alguma investigação interna sobre o ocorrido, a empresária foi peremptória: “Não cabe a esta empresa fazê-lo, é com o empreiteiro. O empreiteiro que está a fazer a obra é que vai ter que fazer a investigação”. Mas a empresa vai, ainda assim, apoiar a família da vítima? “Estou a fazer todo o esforço para acompanhar a família. Estou a acompanhar de perto o assunto, e o empreiteiro, o empregador daquele trabalhador, está a acompanhar de perto o assunto”, garantiu.

Sobre a atribuição de uma indemnização à família da vítima, por parte da Theme Park, Angela Leong remeteu novamente para a construtora: “A responsabilidade é do empreiteiro. Qualquer coisa que ele precise da minha empresa, vou colaborar, sem dúvida. Porque a empresa do empreiteiro já mostrou toda a disponibilidade, vai fazer tudo”, adiantou a empresária. “A primeira coisa que fiz foi dar instruções ao empreiteiro para acompanhar muito de perto o assunto e a família, por isso estou descansada. A empresa do empreiteiro já está a fazer tudo ao seu alcance”, insistiu Angela Leong On Kei.

Questionada ainda sobre quando poderá retomar as obras no empreendimento Grand Lisboa Palace, suspensas há quase um mês – igualmente devido à morte de um trabalhador – a Directora Executiva da SJM passa a bola para a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais: “Também não sei, porque a DSAL é que está a fazer a investigação, a DSAL é que sabe”.

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s