Seul quer estudar o impacto da revisão do acordo de comércio livre com Washington

As autoridades sul-coreanas vão enviar um representante aos Estados Unidos com o propósito de negociar a eventual revisão do acordo de comércio livre assinado por ambos os países em 2012. Seul quer, no entanto, tomar previamente o pulso ao eventual impacto da renegociação do memorando.

 

 

A Coreia do Sul aceitou enviar um representante a Washington, para rever o tratado de comércio livre com os Estados Unidos da América, mas sublinhou a importância de uma análise prévia do impacto económico do acordo.

Seul “enviará um representante de alto nível aos Estados Unidos” para tratar de prazos e agendas, indicou em comunicado o Ministério do Comércio sul-coreano. De acordo com o tratado, o comité de revisão deve reunir-se no prazo máximo de um mês, depois de um pedido de uma das partes signatárias.

O Governo sul-coreano considerou que antes de se realizarem as “possíveis emendas e modificações” sugeridas por Washington seria conveniente reunir funcionários dos dois países para que “estudem, analisem e aconselhem” sobre os diferentes impactos económicos do tratado, em vigor desde 2012, referiu a nota.

Numa carta ao Governo sul-coreano, o representante do gabinete de comércio externo dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, solicitou a activação de um mecanismo para que as duas partes se reúnam em Washington para “considerar (…) possíveis emendas e modificações” ao tratado.

Lighthizer apontou como principais problemas para Washington “o acesso ao mercado coreano para as exportações norte-americanas” e o “significativo desequilíbrio comercial”.

No ano passado, o défice comercial dos Estados Unidos em relação à Coreia foi de 27.700 milhões de dólares, quase o dobro dos 16.600 de 2012.

O Ministério do Comércio sul-coreano recordou que a convocatória do comité “não implica que ambas as partes tenham começado a renegociar” o acordo, já que Washington fala, na carta, de “emendas e modificações” e não de renegociar o tratado: “A mesa de renegociação abre-se quando os dois países acordarem fazê-lo”, concluiu o comunicado sul-coreano.

A proposta de Washington está em linha com as políticas proteccionistas do Presidente Donald Trump.

Desde que Trump chegou, em Janeiro, à Casa Branca, já retirou os Estados Unidos do Acordo Transpacífico (TPP), com outras 11 nações, e anunciou a renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (TLCAN), com o Canadá e o México.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s