Judiciária despediu agente suspeito de burla  

 

O anúncio foi ontem feito por Wong Sio Chak, que reiterou que não serão toleradas acções ilícitas ou casos de indisciplina nos serviços sob a sua tutela. O secretário para a Segurança falou à imprensa ontem de manhã, à margem das celebrações do Dia da Polícia Judiciária.

0.Chak

O agente da Polícia Judiciária que se encontrava a ser investigado por alegado envolvimento num caso de burla foi afastado da Corporação, revelou ontem o Secretário para a Segurança, Wong Sio Chak, à margem das celebrações do Dia da Polícia Judiciária.

Em declarações aos jornalistas, o governante reiterou que a prática de actos ilícitos e o desrespeito pela disciplina não serão tolerados nos serviços sob sua tutela.

A decisão de demitir o agente em causa teve por base as acusações contra ele deduzidas pelo Ministério Público. A procuradoria instruiu o processo de acusação e a Polícia Judiciária conduziu uma investigação interna que resultou no afastamento do suspeito. Ontem, aos jornalistas, Wong Sio Chak explicou, no entanto, que o agente investigado ainda pode recorrer da decisão.

 

Crimes de usura e sequestro continuam em alta

 

As celebrações da Dia da Polícia Judiciária, que culminaram ao final da tarde de ontem com a celebração de um jantar comemorativo , serviram para que a corporação fizesse um balanço intermédio do trabalho desenvolvido entre Junho do ano passado e o final do mês de Maio. No período em questão, a polícia de investigação do território tomou em mãos um total de 12 685 ocorrências, nove por cento mais do que as registadas entre Junho de 2015 e Maio do ano passado. Dos casos investigados, 413 dizem respeito a casos de usura relacionados com a indústria do jogo. A Policia Judiciária investigou ainda 523 casos de sequestro decorrentes de processos de agiotagem, um número que esconde um aumento homólogo dos crimes da índole na ordem dos 20 por cento. Os casos de crime organizado, por sua vez, aumentaram para 40, vinte e cinco ocorrências mais do que as registadas entre Junho de 2015 e Maio de 2016.

Citado pela emissora em língua chinesa da Rádio Macau, Chan Wai Kuong justificou o aumento dos casos de agiotagem com a queda continuada das receitas do sector do jogo, uma tendência que apenas foi interrompida em Agosto do ano passado. O director da Polícia Judiciária adiantou que a esmagadora maioria dos envolvidos não são residentes locais e reiterou a percepção, anteriormente defendida pelo Secretário para a Segurança, Wong Sio Chak, de que os crimes em causa não interferem com o quotidiano da população do território. Chan Wai Kuon comprometeu-se, ainda assim, a reforçar as acções de investigação focadas na indústria do jogo, de modo a refrear o aumento quer dos casos de usura, quer dos casos de sequestre que lhes estão associados.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s