Museu de Arte recebe arte contemporânea inspirada na banda desenhada

A mostra “Ballada – Animamix Arte Contemporânea” é inaugurada na próxima quinta-feira e vai permanecer patente ao público até 15 de Outubro. A exposição reúne 46 obras de autores de quatro países e territórios. Macau estará representado por Lei Ieng Wai, Leong Man Teng e Sanchia Lau.

 

Várias linguagens, quase duas dezenas de artistas, um único espaço. O Museu de Arte de Macau acolhe a partir da próxima sexta-feira mais uma edição da Animamix, uma bienal de arte contemporânea que reúne trabalhos que vão buscar inspiração à animação e à banda desenhada.

Organizada desde 2007, a iniciativa pretende a dar a conhecer, através da criação de mecanismo de cooperação e de projectos de intercâmbio, “as características estéticas e culturais únicas da arte contemporânea que se desenvolveu sob a influência da animação e da banda desenhada”, explica o Instituto Cultural em comunicado.

Com inauguração prevista para o final da tarde da próxima quinta-feira no 1.o piso do Museu de Arte de Macau, a edição de 2017 da bienal, intitulada “Ballada – Animamix Arte Contemporânea – agrupa um conjunto de 46 obras, criadas por 17 artistas ou colectivos artísticos de países e territórios como Macau, a República Popular da China, o Japão ou a Coreia do Sul.
Com uma faceta abertamente polissémica em termos de linguagens artísticas, a exposição “Ballada – Animamix Arte Contemporânea” reúne escultura, pintura a óleo, animação, trabalhos de vídeo-arte e obras de grande dimensão. O Instituto Cultural explica a disparidade de géneros com a necessidade de ajudar a construir “um campo emergente da arte contemporânea que se desenvolve no sentido da diversidade cultural, da visualização de textos, virtualização surrealista e regionalização transnacional”.

A bienal Animamix, lembra o Instituto Cultural, é o resultado da criação de mecanismos de interacção artística entre alguns dos principais museus e instituições de fomento artístico do continente asiático. Entre as organizações que se associam este ano à iniciativa estão o Centro de Artes Visuais de Hong Kong, o Museu de Arte da Coreia do Sul ou a Power Station of Art, de Xangai.

No capítulo dos artistas que se fazem representar na edição de 2017 do certame, os artistas ou colectivos artísticos oriundos da República Popular da China estão em maioria:  Ding Shiwei,  Tiang Xiaolei, Geng Xue, Liu Yi e a cooperativa artística inkman Studio são alguns dos doze representantes do panorama artístico do Continente. Da Coreia do Sul e do Japão chegam respectivamente Kim Jun Sik e Toru Harada. A arte contemporânea do território estará representada por três jovens artistas locais: Lei Ieng Wai, Leong Man Teng e Sanchia Lau.

A mostra “Ballada – Animamix Arte Contemporânea” apresentar numa área total de mais de 1100 metros quadrados projectos tão variadas como espectáculos de marionetes trabalhadas em celadon, animação fosforescente, imagem área imersiva ou ainda “cenas bizarras criadas com instalações de som mecânicas e itens pré-fabricados”,  explica o Instituto Cultural em comunicado.

A exposição é inaugurada na próxima quinta-feira e permanece patente ao público entre sexta-feira e 15 de Outubro. O Museu de Arte de Macau vai dinamizar amanhã  uma sessão de pré-visualização da mostra, no âmbito da qual alguns dos artistas participantes se vão pronunciar sobre o seu método de criação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s