Chan Meng Kam diz adeus ao hemiciclo  

Chan Meng Kam não vai ser candidato às eleições legislativas de Setembro próximo e não tenciona voltar a exercer o cargo de deputado. A garantia foi ontem dada pelo próprio aos jornalistas, à margem da apresentação das listas com que Song Pek Kei e Si Ka Lon concorrem ao hemiciclo. O empresário e membro do Conselho Executivo deixou claro que não será um dos deputados nomeados por Chui Sai On tendo em vista a próxima legislatura.

1.Chan

Elisa Gao

Deputado nas três últimas legislaturas, Chan Meng Kam confirmou ontem o que era há muito dado como seguro e anunciou a passagem de testemunho no âmbito das listas afectas à comunidade de Fujian. O líder da candidatura que mais votos conquistou nas eleições legislativas de 2013 não se recandidata a um lugar no hemiciclo e deposita nas mãos de Si Ka Lon e de Song Pek Kei a missão de repetir os bons resultados alcançados há quatro anos. Os ainda companheiros de bancada de Chan Meng Kam vão encabeçar cada um uma lista com dez candidatos.

Aos jornalistas, o deputado e membro do Conselho Executivo, assegurou também que não espera ser agraciado por Fernando Chui Sai On com um lugar no leque de parlamentares nomeados pelo Chefe do Executivo: “Não serei um dos deputados nomeados”, garantiu.

Apesar de não se candidato a um novo mandato no hemiciclo, Chan Meng Kam assegurou que vai estar activamente envolvido na campanha eleitoral, com o propósito de contribuir para a eleição de Si Ka Lon e de Song Pek Kei: “Se o Si Ka Lon e a Song Pek Kei tiverem a sorte de ser eleitos, garanto que me vou voluntariar para os apoiar. Sinto que este ano as eleições são muito renhidas e como tal, tanto eu, como a minha equipa, vamos fazer tudo o que está ao nosso alcance para garantir um maior apoio da parte dos residentes”, assegurou Chan Meng Kam em declarações aos jornalistas.

O ainda deputado é peremptório em relação ao adeus à Assembleia Legislativa. Embora não tenha esclarecido se vai abandonar a vida política, Chan Meng Kam garantiu que não se vai voltar a sentar no hemiciclo: “Não serei um dos deputados nomeados. Em 2005 deixei claro que para ser deputado, teria que ser eleito pela via directa. Disse isto há mais de dez anos e ainda não mudei de ideias”, esclareceu.

Apesar de não ser candidato, Chan Meng Kam chamou a si, ontem, na Rua do Campo, a responsabilidade de explicar a estratégia adoptada relativamente às eleições de Setembro próximo. A divisão da candidatura em duas listas – a da Associação dos Cidadãos Unidos de Macau e da Associação para o Desenvolvimento de Macau – tem por grande propósito garantir a manutenção dos três lugares no hemiciclo conquistados em 2013: “É a primeira vez que concorremos com duas listas separadas. Este ano enfrentamos uma pressão sem precedentes. Durante os três últimos actos eleitorais dei a cara pela candidatura e desta vez não o faço, mas o que sinto é que desta vez a pressão é mil vezes maior do que quando fui cabeça de lista. Acredito, ainda assim, que o Si Ka Lon e a Song Pek Kei têm o coração e a capacidade para ganhar esta batalha. Estarei sempre ao seu lado e quando houver actividades em que seja necessário interagir com os cidadãos, em que seja preciso servir os residentes, estarei lá com eles”, garantiu Chan.

Liderada por Si Ka Lon, a lista da Associação dos Cidadãos Unidos de Macau terá o vice-presidente da Aliança de Povo de Instituição de Macau, Kyan Su Lone, como número dois. A principal bandeira política da candidatura encabeçada por Si Ka Lon passa pela constituição de um fundo de inclusão que coloque ao dispor dos residentes do território pelo menos dez por cento da riqueza obtida pelo Governo com a indústria do jogo. O deputado e candidato ao escrutínio de Setembro próximo defende que a medida pode ter um impacto incontornável na qualidade de vida da população da RAEM:  “Este dinheiro pode ser utilizado para pagar seguros médicos para tratar doenças graves, ajudar os residentes a pagar a entrada para a compra de habitação própria e ainda permitir que as pensões de reforma subam para as cinco mil pataca”, defendeu.

Já a lista da Associação dos Cidadãos para o Desenvolvimento de Macau, liderada por Song Pek Kei, vai centrar atenções no processo de reforma da administração pública e na melhoria das condições de vida da população da RAEM. Do programa político da lista liderada por Song Pek Kei fazem parte questões como a habitação e a saúde pública, a melhoria do sistema de transportes ou a criação de um mecanismo de responsabilização dos titulares dos principais cargos públicos. Loi Chi On – o outro vice-presidente da Aliança de Povo de Instituição de Macau – é o número dois da candidatura encabeçada pela deputada.

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s