Uma exposição com a duração de um sopro

Os 11 alunos do mestrado em Comunicação e Media da Universidade de São José apresentam hoje, na Creative Macau, os trabalhos concretizados ao longo do presente ano lectivo. A exposição “O Futuro É Agora” tem o tempo breve de uma aula: três horas e meia, para levar ao público projectos de infografia, vídeo e documentário.

1.Creative Macau.jpg

 

Sílvia Gonçalves

silviagoncalves.pontofinal@gmail.com

 

E se uma exposição se condensar no tempo efémero de uma aula? É isso mesmo que propõem os onze alunos do primeiro ano do mestrado em Comunicação e Media da Universidade de São José (USJ) – iniciado em 2016 – que hoje apresentam na Creative Macau, entre as 19 e as 22h30, uma exposição que reúne projectos desenvolvidos ao longo do ano lectivo, no âmbito de várias disciplinas. A mostra inclui infografias em movimento, vídeos curtos onde é explicada matéria de natureza jurídica e documentários de temática abrangente. A inauguração é ela própria produzida e promovida pelos alunos, enquadrada na cadeira de Relações Públicas e Eventos. O título que o director do mestrado lhe colou? “O Futuro É Agora”. Porque a inovação que o futuro promete também passa por eles.

“São projectos da cadeira de Infografia e Multimédia que são bastante inovadores para aquilo que até hoje foi feito em Macau. Acho que somos pioneiros nesta área , em infografia animada, ligada ao multimédia e à animação. Quando escolhi o nome para a exposição – ‘O Futuro é Agora’ – estava precisamente a pensar nessas infografias, que me parecem de facto extremamente inovadoras para o contexto de Macau”, começa por enquadrar José Manuel Simões.

O professor e director do mestrado da Universidade de São José elenca os restantes projectos que integram a exposição que hoje se dá a conhecer na Creative Macau: “Depois há também projectos da cadeira de Media e Sociedade, onde criamos um projecto que se chama ‘Media Law’. Em português é ‘Lei num Minuto’. Num minuto cada aluno, num vídeo, explica uma determinada lei, uma determinada norma ligada aos media de Macau, como por exemplo o direito de resposta, explica esse conceito num minuto”.

E não é tudo: “Depois uma terceira parte dos trabalhos são de carácter audiovisual, que são uns filmes que os alunos fizeram. São três documentários, onde as temáticas são das mais abrangentes. Há um filme de que eu gosto particularmente, que é sobre a vida depois da morte. Acho que é um filme muito bem feito. É no âmbito da disciplina de Cultura Audiovisual”, conta o professor.

Os projectos serão apresentados ao público durante as três horas e meia de uma mostra marcada pela efemeridade: “São 11 alunos, 10 projectos de infografia e multimédia, depois seis ‘One Minute Law’ e depois os três documentários. Primeiro começamos por fazer uma selecção dos melhores trabalhos. Vamos passar todos, na primeira parte mostramos essa selecção e depois deixamos rodar os outros”, explica Simões.

E porquê conferir um carácter tão efémero ao evento expositivo? “Está inserido na cadeira de Relações Públicas e Eventos, está inserido numa aula, criamos um evento para mostrar numa aula. E amanhã [hoje] vamos ter a mostra, a cadeira de eventos, um evento criado por eles, produzido por eles, divulgado por eles, e criado por eles o objecto de apresentação”, explica.

Em suma: “É uma sessão pública de um projecto que é levado ao público. Sai-se da sala de aula para ir para outro contexto. E esse contexto representa um outro projecto, que é criado por eles, que eles estão ali para revelar ao público”, salienta o docente.

Sobre os alunos que há um ano iniciaram este mestrado – e que agora têm pela frente o ano de elaboração da tese – o professor não podia ser mais expressivo: “É uma excelente turma. São 11 elementos de nível profissional do melhor que tive na universidade. Indiscutivelmente o melhor grupo de alunos que tive na universidade em nove anos de ensino”, garante José Manuel Simões.

O docente descreve ainda a importância de revelar perante a comunidade o trabalho embrionário do grupo: “Porque aquilo que fizeram merece ser mostrado, merece ser revelado. Sobretudo porque os projectos têm um carácter de novidade, de originalidade. Acredito em pleno que seja único, pelo menos em Macau. Tenho sérias dúvidas se alguém já produziu resultados na área da infografia e do multimédia em Macau. Mesmo em termos globais, são escassos estes projectos, é uma dinâmica nova, e portanto merece ser mostrada, pelo carácter inovador, pelo carácter original”, defende.

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s