Travessia do Delta: Falsificados testes em pelos menos 55 projectos

A empresa Jacobs China, que falsificou os testes à qualidade do betão na ponte Hong-Kong-Zhuhai-Macau, fez o mesmo em pelo menos 55 projectos, incluindo um hospital pediátrico. As conclusões foram avançadas no fim-de-semana pelo Governo de Hong Kong, que dá conta de quase três centenas e meia de testes adulterados.

1.Ponte.jpg

 

Além de adulterar os testes sobre a qualidade do betão na Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, a empresa Jacobs China fez o mesmo em 55 projectos públicos na vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong. A revelação foi feita no sábado pelo Governo da antiga colónia britânica, sendo que entre os projectos visados pela prática está um túnel em Causeway Bay e um hospital para crianças.

De acordo com o departamento de Engenharia Civil e do Desenvolvimento, a multinacional sedeada nos Estados Unidos conduziu um total de 130 testes “problemáticos” nos 55 projectos em causa. Contudo, garante o governo liderado por CY Leung, as estruturas não estão em perigo.

As novas revelações não se ficam, no entanto, por aqui. Foram igualmente descobertos mais 116 testes adulterados em relação à ponte Hong Kon-Zhuhai-Macau. No âmbito deste mega projecto já tinham sido anteriormente revelados 210 testes falsificados: “As análises mostram que apesar de tudo, os resultados [dos 55 projectos] estão de acordo com as exigências do Governo”, afirmou o director-interino do departamento de Engenharia Civil e do Desenvolvimento, Norman Heung Yuk-sai, em conferência de imprensa, de acordo com o jornal South China Morning Post. No total são agora 456 o número de testes com resultados adulterados pela empresa em causa.

O escândalo que envolve a ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau rebentou em Maio, depois da Comissão Independente contra a Corrupção (ICAC em inglês)da antiga colónia britânica ter detido 21 empregados do escritório chinês da Jacobs por envolvimento na adulteração de testes de qualidade do betão.

De acordo com Norman Heung, os dados que foram anunciados no fim-de-semana vão ser igualmente entregues ao ICAC para que as investigações prossigam.

O túnel afectado pelos testes adulterados fica na estrada que faz a ligação entre Central e Wan Chai, junto ao centro de protecção para tufões. Já o hospital afectado é o Hong Kong Children’s Hospital.

Sobre os restantes cerca de 440 mil testes realizados aos 55 projectos, a Governo de Hong Kong afirmou que não detectou quaisquer problemas.

Depois do escândalo ter rebentado, o Executivo da região vizinha proibiu o ramo chinês da Jacobs de prestar serviços de consultadoria nos projectos públicos até Junho do próximo ano. Contudo, Norman Heung disse que estas medidas podem agora ser revistas, quando estiver concluída a investigação à empresa.

À luz dos novos casos, os responsáveis da Jacobs disseram ao South China Morning Post que vai continuar a cooperar com a investigação. A Jacobs explicou igualmente que não foram informados sobre alterações às acusações anteriores.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s