Operadoras de jogo já entregaram relatórios sobre planos de segurança

As autoridades de Macau já estão a analisar os relatórios sobre os planos de segurança enviados ao Governo pelas seis operadores de jogo. A exigência de que as concessionárias teriam que tornar públicos os relatórios foi uma medida aplicada depois de um ataque que teve como alvo um casino em Manila e visa melhorar a segurança nos estabelecimentos de jogo do território.

1.Attack.jpg

As seis operadoras de jogo de Macau já entregaram os relatórios sobre os planos de segurança exigidos pelo Governo, na sequência do ataque de que foi alvo o Resorts World Manila. A ocorrência causou a morte a 36 pessoas. A notícia foi avançada ontem pela Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos ao portal GGR Asia.

Neste momento, a Direcção de Serviços de Inspecção e Coordenação de Jogos e a Polícia Judiciária estão a analisar o conteúdo dos documentos enviados, sendo que não foi anunciada, por enquanto, a adopção de quaisquer novas medidas de segurança.

“A 4 de Junho, a Direcção de Serviços de Inspecção e Coordenação de Jogos, a Polícia Judiciária e representantes do sector do jogo reuniram-se para reforçar as medidas de segurança nos casinos. De acordo com as exigências do governo, as companhias de jogo já enviaram os relatórios”, disse a DICJ, ao portal GGR Asia.

“A Direcção de Serviços de Inspecção e Coordenação de Jogos e a Polícia Judiciária estão a estudar e a analisar o conteúdo dos relatórios, e vão continuar em permanente contacto com a indústria para que as medidas de segurança nos casinos sejam reforçadas. Desta forma, a segurança dos cidadãos, trabalhadores e visitantes é assegurada”, completou o organismo liderado por Paulo Martins Chan.

O portal GGR Asia também contactou o gabinete do Secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong Vai Tac, que remeteu os assuntos relacionados com o tema para a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos. Também o gabinete do secretário para a Segurança, Wong Sio Chak, foi contactado, não tendo feito chegar ao portal electrónico qualquer resposta.

Depois da reunião, que decorreu a 4 de Junho, Lionel Leong afirmou à imprensa que a segurança na RAEM, e em específico nos casinos, é essencial para que se concretize a política de Macau como Centro Mundial de Turismo e Lazer.

O secretário para a Economia e Finanças prometeu na altura que seriam feitos todos os esforços, em conjunto com as forças de segurança e as operadoras, para evitar ocorrências como a que deixou Manila em sobressalto: “O Governo presta muita atenção ao sector do turismo, incluindo nos casinos, que é muito importante e vai tomar medidas com vista a garantir a segurança de turistas, residentes e trabalhadores das operadoras de jogo”, sublinhou Lionel Leong, a 5 de Junho.

As seis operadoras de jogo licenciadas em Macau são a Sociedade de Jogos de Macau, a Wynn Resorts (Macau), a Galaxy Casino, a Venetian Macau –  mais conhecida como Sands, a MGM Grand Paradise e a Melco Crown.

 

O ataque que trouxe a questão da segurança à agenda das autoridades locais foi desferido a 2 de Junho, num casino das Filipinas, e foi levado a cabo por um atirador solitário, que causou a morte a 37 pessoas, depois de ter incendiado uma das salas de jogo do empreendimento.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s