Italiano fez mais de nove mil quilómetros para ver jogar a selecção de Macau

Francesco Zema, cidadão italiano, fez mais de nove mil quilómetros para estar, na terça-feira, no Estádio de Macau a apoiar a selecção do Lótus. Adepto ávido de futebol, o jovem de 34 anos contou, ao PONTO FINAL, os contornos de uma singular história do amor por Macau, que começou em 1996 e já resultou em três visitas ao território.

Francesco Zema

João Santos Filipe

Na terça-feira o Estádio de Macau recebeu mais de 1200 adeptos para assistir à derrota da selecção do Lótus por quatro golos sem resposta, diante do Myanmar. Entre os presentes esteve um adepto com nacionalidade italiana, que fez mais de 9 230 mil quilómetros, só para ver a selecção do território actuar.

Ao PONTO FINAL, Francesco Zema, apaixonado por futebol, explicou a origem de uma singular história de amor por Macau, que começou quando o território ainda estava sob administração portuguesa.

“Desde 1996 que comecei a acompanhar os jogos de futebol asiáticos e foi por volta dessa altura que descobri Macau, quando tinha cerca de 13 anos”, disse Francesco Zema, na terça-feira, enquanto assistia à partida. “Como se sabe, os italianos têm o hábito de simpatizar com muitas equipas e, quando comecei a acompanhar os jogos na Ásia, decidi que queria apoiar uma formação que normalmente não fosse favorita e que tivesse menos hipóteses de vencer: foi por isso que decidi apoiar Macau”, justificou.

Zema mostrou-se igualmente muito agradado com a experiência de assistir a um encontro longe dos grandes palcos a que está habituado em Milão, que é a casa de dois colossos do futebol mundial: AC Milão e Inter de Milão.

“Estou triste com o resultado, mas sinto-me mesmo feliz por estar aqui. Já fiz muitos amigos em Macau, o que me permite realizar este sonho de acompanhar um jogo com os fãs locais e também conhecer os jogadores”, frisou.  “Já tinha estado em Macau duas vezes, mas na altura nunca houve jogos. Mas agora, rodeado por tanta gente local, estou a sentir que estou a conhecer melhor a cultura e as pessoas locais. Está a ser fantástico”, acrescentou.

 

Conhecer Macau através do futebol

 

Feita a viagem de mais de nove mil quilómetros, Zema cumpriu finalmente o sonho. Contudo o objectivo não foi alcançado à primeira: “Na verdade, tentei ir ao Quirguistão [derrota de Macau por 1-0] para ver o primeiro jogo desta fase de grupos, mas infelizmente acabei por não ter tempo”, confessou.

Foi através do futebol que Francesco Zema –  que trabalha para o serviços de acção social italianos o prestar apoio a jovens que se encontram em situações de risco –  acabou por conhecer o contexto histórico, social e político do território: “Em 1996 não sabia como era o futebol aqui e, para ser sincero, nem sabia bem o que era Macau. O conhecimento só se foi aprofundado à medida que também a paixão foi crescendo”, explicou.

 

Além de Macau, Francesco Zema apoia a selecção de Itália e o AC Milão, clube controlado por capitais chineses e que contratou esta semana, ao Futebol Clube do Porto, o internacional português André Silva.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s