Fórum sobre Investimento terminou com 24 acordos assinados

 

Entre os memorandos selados estão acordos que abrem portas à construção de infra-estruturas em países como Angola, Mocambique ou Brasil. Os 24 acordos celebrados envolvem um investimento global na ordem dos12 mil milhões de dólares norte-americanos, revelou o presidente da Associação de Construtores Civis Internacionais da China, Fang Qiuchen.

1.Forum.jpg

A edição de 2017 do Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas foi na sexta-feira palco de um acordo de construção para uma série de países, entre os quais se contabilizam sete projectos em Angola, Moçambique e Brasil.

No final do 8.ª edição do certame (IIICF, na sigla em inglês), o presidente do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), Jackson Chang explicou que os projectos estão “relacionados com parques industriais multiusos, com serviços, agricultura, desenvolvimento de pontes e também reformulação de sectores de centros históricos de várias cidades”

“Foram celebrados, ao todo, 24 contratos de negócios, acordos-quadro e memorandos de entendimento”, pelo que “os resultados alcançados foram satisfatórios”, afirmou Jackson Chang, na conferência de imprensa de encerramento do Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas. A iniciativa juntou, ao longo de dois dias, mais de 1.700 participantes, entre os quais 57 quadros de nível ministerial, de um universo de 63 países e regiões.

Portugal fez-se representar pelos secretários de Estado da Indústria e da Internacionalização, João Vasconcelos e Jorge Oliveira, respectivamente: “Testemunhamos a assinatura de grandes projetos”, disse, por seu turno, o presidente da Associação dos Construtores Civis Internacionais da China, a outra entidade coorganizadora da iniciativa. Fang Qiuchen explicou que os acordos selados envolvem, no total, um “valor recorde” de 12 mil milhões de dólares norte-americanos.

Neste âmbito, Fang Qiuchen elencou “três projetos essenciais” no Gana, na Jamaica e em Angola, com o último a dizer respeito a um polo de desenvolvimento turístico: “É um projecto muito grande. É um parque turístico em Cabo Ledo”, afirmou, descrevendo “um pacote muito alargado que inclui infraestruturas, um parque industrial e todos os aspectos de recreação, como hotéis, etc.”

Os restantes acordos envolvendo Angola dizem respeito à construção de parques industriais, de agricultura e de pescas e de uma área de restauração.

Já o único projeto em Moçambique versa sobre a manutenção da ponte sobre o rio Save e a construção de uma nova na EN1, a única via que cruza o país de norte a sul. O memorando de entendimento relativo ao Brasil tem que ver com um projeto de engenharia.

A próxima edição do fórum realiza-se a 7 e 8 de Junho do próximo ano.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s