Obras de Wong Cheng Pou na Bienal de Veneza até 12 de Novembro

1_20170512162855zNwA

A exposição do Pavilhão de Macau no 57.ª Exposição Internacional de Arte – Bienal de Veneza, intitulada “O Bonsai dos Meus Sonhos – Obras de Wong Cheng Pou”, foi inaugurada em Veneza, na quinta-feira passada, mantendo-se aberta ao público até 12 de Novembro. Esta é a sexta vez que Macau participa nesta exposição internacional de arte que se realiza em Itália desde 1895.

A exposição, da responsabilidade da Museu de Arte de Macau (MAM), organismo que opera sob a égide do Instituto Cultural (IC), apresenta 17 obras de escultura e pintura de Wong Cheng Pou.

Lei Lai Kio, Chefe do Departamento de Museus do Instituto Cultural, defendeu no discurso que proferiu na cerimónia de inauguração que Wong Cheng Pou, “com a sua visão aberta em relação à vida, as suas competências artísticas sólidas e a sua profunda meditação filosófica, se destaca como um dos mais notáveis artistas contemporâneos de Macau”.

Explorando o conceito de “bonsai”, Wong Cheng Pou “manifesta a sua demanda espiritual enquanto habitante de uma pequena cidade, apresentando ao mesmo tempo a estética da cultura de vida numa casa tradicional chinesa”, refere o Instituto Cultural em comunicado.

Chan Kai Chon, director do Museu de Arte de Macau, afirmou na mesma ocasião que o Museu de Arte de Macau espera que a participação em eventos artísticos de prestigiados “possa abrir portas aos artistas de Macau com potencial para acederem aos círculos artísticos internacionais”.  A intenção daquela entidade é “atrair a atenção de curadores, críticos de arte, coleccionadores, galerias e órgãos de comunicação social a nível nacional e internacional para os artistas da região, proporcionando, assim, espaço e condições mais favoráveis para o desenvolvimento a longo prazo das artes visuais locais“, disse Chan Kai Chon.

Entre as obras expostas figuram modelos inspirados nas divindades descritas no antigo clássico chinês Shan Hai Jing, o Clássico das Montanhas e dos Mares. Segundo Wong Cheng Pou, as pessoas que vivem em cidades super-populadas sentem-se comprimidas, e este universo evoca no artista as divindades do Shan Hai Jing. Para o artista, a influência do catolicismo em Macau ao longo de vários séculos e a indumentária dos clérigos sempre assumiram uma aura de mistério, a qual infunde as suas obras. Nas palavras do curador Ng Fong Chao, “O Bonsai dos Meus Sonhos” “parece provocar uma série de colisões violentas com a realidade, evocando uma nova visão do mundo e levando as pessoas a pensar na sua existência no mundo real, explorando e examinando igualmente o seu verdadeiro sentido no processo de desenvolvimento da sociedade, com base naquilo que pode ser considerado como um mundo futuro imaginado por Wong Cheng Pou”.

Para a edição deste ano da Bienal de Veneza foram convidados 126 artistas provenientes de 51 países. A Bienal inclui um total de 85 pavilhões nacionais, bem como 23 eventos colaterais organizados por cidades e organizações de arte, nos quais se integra a exposição de Macau.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s