Promover o Português fora do contexto das salas de aula

Na Universidade de Macau, hoje é dia dedicado à  língua portuguesa e à cultura dos países  lusófonos.

Joana Figueira

A língua portuguesa está em destaque ao longo do dia de hoje na Universidade de Macau (UM). O Departamento de Português, dirigido por Yao Jingming, organiza mais uma vez o evento anual que dá espaço à cultura do países da lusofonia. A programação do Dia da Língua Portuguesa da UM engloba dança, canto, teatro, poesia e atividades pedagógicas, no sentido de “trazer para fora da sala de aula, para o espaço aberto da universidade”, a comemoração do idioma e de culturas, numa festa “já com alguma tradição”.

Promover actividades culturais de interesse pedagógico, linguístico e cultural junto dos alunos de língua portuguesa é o objectivo principal assinalado por Gonçalo Cordeiro, um dos professores do Departamento de Português responsáveis pela organização do evento. Ao PONTO FINAL, o docente disse esperar que “estas actividades contribuam para o reforço dos laços da comunidade académica, por assim dizer, em torno da língua portuguesa fora do contexto da sala de aula, que é aquele em que, normalmente, os alunos contactam com a língua e com aspecto da cultura e da literatura dos países de língua portuguesa.”

As actividades estendem-se das 10h às 18h, sendo que o dia arranca com uma aula aberta de língua portuguesa ministrada por alunos do 4º ano da licenciatura em Estudos Portugueses. Yao Jinming, que tomou posse do cargo de director do departamento em meados de Agosto do ano passado, disse também a este jornal que a aula servirá para esclarecimento das dúvidas dos alunos, bem como para que os estudantes finalistas possam fazer dela um exercício prático dos conhecimentos já adquiridos sobre o idioma.

Já Gonçalo Cordeiro explicou que “a aula terá sido planeada inteiramente – é claro que com respectivo acompanhamento por parte dos professores – pelos alunos. Portanto, vão ministrar esta sessão lectiva aos seus colegas dos vários anos da licenciatura e procuram ir ao encontro dos problemas da língua e também das dificuldades sentidas na aprendizagem, de uma forma geral, do perfil do aluno de Português de Macau.”

Segue-se o concurso “Jogos de Língua” – agendado para as 10h45 –, preparado por alunos também do 4º ano e destinado a todos os estudantes do Departamento de Português. Os resultados serão divulgados no final do dia, ao mesmo tempo daqueles respectivos ao concurso de leitura “que esteve aberto à participação de todos os alunos do departamento e que corresponde, na verdade, a uma experiência que está a ser desenvolvida no âmbito do Departamento de Português e que, em princípio, se tudo correr bem, será lançada no próximo ano”, esclareceu Cordeiro.

O plano de leitura, acrescentou o docente, “trata-se de um modelo de leitura extensiva cujo objectivo é promover a melhoria dos hábitos de leitura dos nossos alunos, contribuir para a consolidação do seu nível de língua e alargar o horizonte das suas referências literárias e culturais. E, portanto, estamos a desenvolver esta experiência, este ano, para perceber de que forma é que o modelo que concebemos pode vir a ser melhorado, no sentido de termos os melhores resultados.”

O concurso contou com a participação de “cerca de 50 alunos da licenciatura e também do mestrado e do doutoramento” ligados ao departamento.

As actividades da manhã finalizam com a projecção de “Língua: Vidas em Português”, um documentário de 2011 com direcção de Victor Lopes. O filme incide sobre “a questão da variação linguística no mundo da língua portuguesa através da captação da vivência de falantes da língua portuguesa que, na verdade, vivem em pontos muito diferentes do mundo”, como José Saramago ou Mia Couto.

Às 15h começam as performances artísticas que têm o intuito de dar destaque à “criatividade” dos alunos no uso da língua portuguesa. Estão agendadas não só actuações musicais, mas também uma peça de teatro e um recital de poesia que abarca poemas de Fernando Pessoa e Camilo Pessanha. Aqui, “o objectivo é, de alguma forma, evocar a memória literária de Camilo Pessanha, celebrar a sua ligação a Macau num dia que é simbólico para nós: o dia em que se cumprem 123 anos sobre a chegada de Camilo Pessanha a Macau (…).”

O Dia da Língua Portuguesa da Universidade de Macau encerra com um festival de gastronomia luso-macaense, um momento que a organização do evento espera que seja de convívio.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s