Macau precisa de mais 300 bombeiros

Os bombeiros foram chamados a intervir em mais de 45 mil casos em 2016, dos quais os respeitantes a incêndios superaram os mil. As solicitações mais numerosas foram as que resultaram em saídas de ambulâncias: mais de 44 mil. Comparativamente ao ano anterior, o trabalho da Corporação registou aumentos em todas as frentes.

IMG_6469.JPG

Rodrigo de Matos

 

O Corpo de Bombeiros (CB) está a actuar desfalcado em mais de 300 operacionais. Com a cidade a crescer, aumenta também a frequência com que os agentes da corporação são chamados a intervir, o que se confirmou no ano passado, com uma subida no número de ocorrências, em relação ao registado em 2015.

Os números são frescos e foram apresentados ontem na conferência de imprensa que abriu a Palestra com os Meios de Comunicação Social em 2017, no Comando e Posto Operacional do CB no Lago Sai Van. Até Fevereiro deste ano, dos 1589 postos do quadro dos bombeiros, apenas 1235 estavam preenchidos. Ou seja, 354 permaneciam vagos, isto apesar de ter havido um aumento de 114 profissionais no pessoal recrutado pelo Corpo de Bombeiros em 2016, ano em que se aposentaram apenas 16 efectivos.

Ainda assim, no ano passado, os bombeiros foram chamados a intervir em 45 778 casos, ou seja, mais 557 (1,23 por cento) do que em 2015. Do total de ocorrências, 1074 foram respeitantes a incêndios, mais 41 (3,97 por cento) do que no ano imediatamente anterior. As solicitações mais numerosas foram as que resultaram em saídas de ambulâncias, num total de 44 324 ocorrências, ou seja, 1425 mais (3,4 por cento) do que no ano anterior.

Para responder à situação, a aposta do Corpo de Bombeiros passa por reforçar a eficácia ao nível da actuação, com a promoção da prevenção e o melhoramento de equipamentos, técnicas e estratégias: “Em Setembro de 2016, criámos a Equipa Especial de Socorro, à imagem do que acontece nos países e regiões mais avançados, para elevar a nossa capacidade de acção em operações de socorro de incidentes e incêndios de grande envergadura”, relembrou o comandante do CB, Leong Iok Sam. A equipa especial, que resulta da selecção dos “elementos de elite” da corporação, conta com 30 elementos, repartidos por dois grupos de 15, e está focada para a actuação nos casos de maior complexidade, como desabamentos, acidentes com produtos químicos perigosos, operações de salvamento em grandes alturas ou incêndios e acidentes de viação de grande envergadura.

Os planos do Corpo de Bombeiros para 2017 incluem o envio dessa equipa em visitas de intercâmbio ao estrangeiro, para frequentar cursos específicos de salvamento com vista a aprimorar a sua técnica. Este ano, os bombeiros pretendem ainda reforçar o acompanhamento dos mini-armazéns, estabelecer o mecanismo do “Chefe de Segurança Comunitária Contra Incêndios” e ainda realizar o Dia de Abertura ao Público do Corpo de Bombeiros (a 23 de Abril).

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s