Cartões transparentes para levar os sonhos mais além

O capítulo da promoção continua a ser destacado por algumas pequenas e médias empresas do território como um dos principais desafios ao sucesso das suas marcas. A Chamberlain, empresa do sector das indústrias criativas, decidiu apostar num novo conceito para promover as suas ideias junto dos consumidores do território.

1.Postais.jpg

 

Criações que se destacam por elementos diferenciais são uma das estratégias a que as pequenas e médias empresas recorrem como forma de se promoverem junto dos consumidores de Macau, mas até as ideias têm prazo de validade. A  Chamberlain dedica-se desde 2010 ao design e à construção das imagens institucional das empresas e agora aposta numa solução promocional aparentemente simples, mas que promete ser eficaz. Os criativos da empresa conceberam cartões-postais que se distinguem por serem transparentes e permitirem àqueles que os compram operar as suas próprias criações. A iniciativa foi pensada no sentido de promover a empresa – ou eventuais clientes – junto da população local, mas também dos turistas que visitam o território.

A ideia passa por levar mais além o conceito, já existente, dos postais com cenários de Macau, mas mostrá-los através de um meio diferente. A Chamberlain decidiu apostar na criação de um conjunto de postais transparentes onde introduziu alguns dos ex-líbris do território como o Leal Senado, a Torre de Macau ou o Pavilhão do Panda Gigante: “O tema é Macau e as suas atracções porque achamos que estes são alguns dos lugares que os turistas consideram interessantes”, explicou ao PONTO FINAL Lio Tek Mui, designer de comunicação da Chamberlain. Até Junho, os postais vão estar à venda na Feira de Artesanato do Lago Nam Van, aos sábados e domingos.

Originais, artesanais e com o design feito pela própria empresa, os cartões são uma maneira de promover as iniciativas desenvolvidas pelas empresas do sector das indústrias criativas do território. A promoção, considerou Lio, é precisamente um dos desafios que o sector enfrenta no território: “Já que criamos conceitos para a promoção online, marketing e publicidade de empresas, também queremos promover a nossa própria empresa com esta iniciativa”, explicou.

Ainda que tenha uma loja física na Praça do Lago Nam Van, a Chamberlain “continua a precisar de mais promoção para conseguir chegar a outros clientes e mostrar o talento e todas as ideias criativas” que desenvolve. Os recursos humanos e os desafios em termos de recursos monetários são outros problemas que Lio Tek Mui assume que afectam as pequenas e médias empresas do sector das indústrias culturais e criativas: “Normalmente uma pessoa é responsável por várias funções. Ao mesmo tempo que têm de fazer todo o design, podem ter de fazer, também, a promoção e a venda. Portanto, acabam por fazer um pouco de tudo. Todos estes recursos requerem dinheiro e pessoas”, atesta.

Lio disse ao PONTO FINAL que a Chamberlain também “enfrenta este tipo de problemas”, sustentando que “é difícil para os artistas tornar o seu trabalho mais comercial”, de forma a fazê-los chegar aos clientes finais. J.F.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s