Governo revela que está inclinado a criar “quarto espaço” a sul de Hac-Sá

O consultor principal do Gabinete de Estudo das Políticas do Governo afirmou ontem que o “quarto espaço” deve ser construído a Sul de Coloane. Mi Jian revelou que os detalhes iniciais do projecto já tinham sido apresentado a Li Keqiang na visita oficial de Outubro do ano passado.

1.Hac sa.jpg

João Santos Filipe

 

Numa altura em que ainda se aguarda a realização de estudos de viabilidade, o Governo aponta o Sul da praia de Hac-Sá como a melhor opção para construir o denominado “quarto espaço”. Este é um novo mega-aterro comparável em dimensão à Península de Macau, Taipai ou Coloane. Alguns detalhes do projecto foram avançados ontem pelo consultor principal do Gabinete de Estudo das Políticas do Governo, Mi Jian, na Assembleia Legislativa.

“Em princípio [o quarto espaço] vai ficar situado no Sul de Coloane porque depois haverá margem para expandir para Leste, tendo em conta as marés e o impacto destas”, afirmou Mi Jian, depois do secretário Raimundo do Rosário ter sido questionado por Si Ka Lon sobre este tema.

“Mas a concretização do ‘quarto espaço’ não depende apenas da RAEM, temos de desenvolver muitos trabalhos para saber se podemos tornar a ideia viável. Existem muitos factores a ter em conta”, acrescentou.

Apesar do projecto ter sido apresentado pela primeira vez em público no Conselho do Planeamento Urbanístico, em Dezembro, a verdade é que já em Outubro tinha sido explicado ao Primeiro-ministro Li Keqiang, quando este esteve em Macau numa visita oficial.

“O ano passado falámos com o Primeiro-Ministro Li Keqiang, na altura em que esteve cá. Quando o Primeiro-Ministro vem a Macau é para ouvir as coisas que não são apresentadas na rádio ou nas televisões. Ele sabe muito bem o que é o ‘quarto espaço’ e na altura perguntou logo se isto tinha a ver com aterros”, revelou Mi Jian.

“As razões que nos levaram a considerar esta opção são a densidade populacional existente no território, a criação de espaços para a actividade económico e o melhor aproveitamento das áreas marítimas”, defendeu.

 

Melhorar condições de vida

 

Apesar do Governo ainda não ter definido o que pretende para esta nova zona, um dos objectivos passa por concretizar a política “belo lar”, que pretende melhorar as condições de vida de Macau:  “A política “belo lar” tem como objectivo tornar Macau num espaço mais habitável, com melhor ambiente e boa cultura. Se conseguirmos esse objectivo, assim como a concretização do ‘quarto espaço’, isso vai contribuir muito para o desenvolvimento da RAEM”, explicou o consultor principal do Gabinete de Estudo das Políticas do Governo. “Esta vertente também tem a ver com a classe média. Não é só a criação de um espaço novo, é a melhoria das condições”, frisou.

 

Em cima da mesa está igualmente a construção de um porto de águas profundas no “quarto espaço” para o desenvolvimento de actividades comerciais e turísticas ligadas ao mar.

No entanto, Mi Jian explicou que neste momento a prioridade para o desenvolvimento vai passar pelos aterros, nomeadamente as zonas A, B,C,D, E1 e E2, e que só depois se vai tratar do crescimento para fora do actual território.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s