Serviços de Saúde confirmam dois casos importados de malária

 

malaria_special

Dois casos importados de malária foram ontem confirmados pelo Centro de Prevenção e Controlo de Doenças dos Serviços de Saúde. Os dois indivíduos – dois cidadãos portugueses do sexo masculino – têm 30 e 63 anos e são pai e filho. Os pacientes têm nacionalidade portuguesa mas residem de forma permanente em Angola e entraram no território no dia 22 deste mês, altura em que os sintomas se começaram a manifestar.

Depois de cerca de quatro dias em Macau, os dois homens – que saíram de Angola, fizeram escala no Dubai, chegaram no dia seguinte a Hong Kong e entraram no território para passar férias – recorreram aos Serviços de Urgências do Centro Hospitalar Conde de São Januário, onde foram submetidos a exames ao sangue que revelaram resultados positivos.

De acordo com o comunicado da Direcção dos Serviços de Saúde, “o facto de ter havido história de viagem na zona infectada, o período de apresentação de sintomas e os resultados do teste laboratorial” estes dois casos foram classificados como casos importados, sendo também os primeiros casos registados em Macau desde o início do ano.

Os Serviços de Saúde declararam ainda que vão actuar de forma a controlar a expansão da doença, procedendo à eliminação de mosquitos na área de residência dos pacientes. Aos residentes da zona, é pedido que tomem medidas de prevenção, nomeadamente a adopção de medidas eficazes anti-mosquito, a toma de medicamentos de prevenção em caso de viagem a zonas afectadas com malária e a consulta de um médico em caso de manifestação de sintomas.

A malária é uma doença infecciosa considerada grave e fatal que ocorre principalmente em regiões de clima quente, como África, regiões tropicais e sub-tropicais, como a América Latina e algumas regiões do sudeste asiático. Transmitida pelo mosquito fêmea do género Anopheles, a malária apresenta um período de incubação que varia tendo em conta os diferentes géneros de parasitas, sendo que o aparecimento de sintomas varia entre sete a 30 dias a partir da picada do mosquito.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s