Ancajas regressa a Macau para defender título júnior de pesos-galo

Desde que conquistou o cinturão de campeão da Federação Internacional de Boxe na categoria de pesos-galo, o filipino de 24 anos tem estado sempre em casa e a treinar para conseguir defender o título. O treinador Joven Jimenez espera que o atleta possa conseguir um bom cachê em Macau.

1-ancajasarroyo 

O pugilista filipino Jerwin Ancajas regressa a Macau no dia 29 do próximo mês para defrontar um oponente ainda por anunciar, na defesa do recém-conquistado título de campeão na categoria de juniores de pesos galo, pela Federação Internacional de Boxe (IBF, na sigla inglesa). O combate pauta o regresso do atleta à RAEM, onde lutou pela última vez em 2014.

Será também a primeira vez que Ancajas – à esquerda na foto – irá defender o título júnior de pesos galo da IBF conquistado em Setembro, quando derrotou o porto-riquenho McJoe Arroyo (à direita). A notícia foi avançada pelo portal Rappler.com, que confirmou o anúncio feito pelo treinador de Ancajas, Joven Jimenez.

Tanto quanto é sabido, o adversário para essa luta de 29 de Janeiro em Macau ainda não está definido, nem tão pouco o recinto onde se irá realizar a contenda. Seja como for, o pugilista filipino de 24 anos, natural da cidade de Panabo, na província de Davao do Norte – que conta no seu palmarés com 25 vitórias (16 por nocaute), uma derrota e um empate – já tem estado a treinar a todo o gás na cidade de Imus, província de Cavite, avançou Jimenez. Os treinos do atleta incluem sessões de “sparring” de quatro a seis rodadas de cada vez, para o manter afinado, adianta o técnico: “Ele é muito disciplinado, tem-se mantido sempre em casa e a treinar desde que ganhou a luta [que lhe valeu o título]”, afirma Jimenez, adiantando que o combate do próximo mês será promovido pela MP Promotions, do astro filipino Manny Pacquiao, que se associa à Top Rank.

O PONTO FINAL tentou obter junto de Sean Gibbons, promotor de Las Vegas, que costuma participar na definição de duelos para a MP Promotions, mais informações sobre esse embate em Macau, mas não conseguiu obter resposta até ao fecho desta edição.

 

À espera de dias mais abastados

 

Apesar de lhe ter roubado o título, Ancajas viu Arroyo sair do combate com a maior fatia do cachê de 25 mil dólares (199,8 mil patacas) definido para a luta e ficou com apenas 15 por cento, ou seja, 3750 dólares (29,9 mil patacas). Jimenez espera que, em Macau, o seu lutador possa ser tratado de forma mais justa, até porque agora é ele o detentor do cinturão: “Pelo menos é por isso que temos estado a rezar. Da última vez não houve dinheiro pra ninguém”, afirma.

Da última vez que actuou em Macau, Ancajas levou boas recordações para as Filipina: em Novembro de 2014, nocauteou o tanzaniano Fadhili Majiha, ao terceiro assalto.

A Federação Internacional de Boxe (IBF) é uma das quatro principais organizações de boxe profissional, juntamente com a WBA, WBC e WBO.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s