Casinos do Japão ameaçam ultrapassar Macau e Las Vegas

Contra as melhores previsões, o “país do Sol Nascente” pode tornar-se um dos maiores destinos de jogo do planeta. Uma infra-estrutura sólida e um consistente mercado interno predisposto para as apostas e as actividades de jogo são algumas das vantagens do Japão.

1-pachinko

Macau e Las Vegas pareciam ter atingido uma dimensão julgada inigualável. Mas depois de as duas grandes mecas mundiais do jogo terem passado recentemente por fases de muita volatilidade no que diz respeito às receitas de jogo, outros destinos – sobretudo no continente asiático – perfilam-se como candidatos a descolar do pelotão para atacar os dois fugitivos na cabeça da corrida. Operadoras presentes em vários países estão de olhos atentos ao processo, aparentemente irreversível, de legalização do jogo no Japão, um proposta com grandes perspectivas de desenvolvimento rápido.

Uma vez liberalizado, o mercado dos casinos no Japão poderá almejar gerar em pouco tempo receitas anuais à volta de 40 mil milhões de dólares (320 mil milhões de patacas), de acordo com as estimativas dos analistas da corretora CLSA, citados pela Reuters. Com uma população bastante mais propensa a alinhar em actividades de jogo do que o normal noutras economias avançadas, o Japão torna-se um mercado apetecível para empresas como a MGM Resorts, a Wynn Resorts e a Las Vegas Sands.

Analistas da japonesa Nomura, estimam que bastariam três complexos de casinos para gerar algo como 10 mil milhões de dólares – 80 mil milhões de patacas – em receitas. Para as operadoras de casinos em Macau, onde as receitas têm sofrido com o abrandamento da economia chinesa e a caça de Pequim aos corruptos, o Japão pode aparecer como um novo mercado alternativo.

 

“Abe-te” sésamo

 

Durante anos, o primeiro-ministro Shinzo Abe tem lutado para tentar legalizar os casinos no Japão. Com uma população de cerca de 127 milhões de habitantes, o país tem um mercado já pronto para a entrada em força das salas de jogo. Com uma infra-estrutura sólida, não se espera que os casinos venham a enfrentar os problemas encontrados em Macau, onde, por vezes, a actividade da construção bloqueia o acesso aos casinos).

O pachinko – jogo de azar praticado em máquinas que se assemelham a um cruzamento entre pinball e slot machine – é uma obsessão nacional, havendo em todo o país 12 mil casas de pachinko (na foto). Um em cada 13 japoneses é adepto do jogo. De acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar, cerca de cinco por cento da população adulta do Japão sofre de jogo compulsivo, sendo a dependência das apostas nas máquinas pachinko responsável pela maioria dos casos. Para os casinos, essa audiência pode facilmente tornar-se um mercado-alvo.

A Hard Rock Cafe International prepara-se para fazer um importante investimento no Japão e outras operadoras deverão em breve seguir o exemplo. A Las Vegas Sands e a MGM Resorts International estão já a sondar o mercado com vista ao desenvolvimento de projectos.

Durante anos, o projecto de lei para liberalizar os casinos tem ficado em banho-maria, mas uma explosão da actividade turística no Japão está a renovar o interesse. Além do mais, a economia japonesa tem-se visto a braços com tendências deflacionistas e o Governo Abe está disposto a tudo para impulsionar o crescimento, incluindo manter taxas de juro negativas. Para a Wynn, a MGM, a Las Vegas Sands e até mesmo a Melco, os casino-resorts no Japão seriam uma oportunidade de ouro para a sua expansão geográfica e diversificação.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s