C.S.I: Crime Série Ilustrada

As histórias publicadas nesta secção são escritas com base em versão apresentada pelas forças de segurança – PJ e PSP. Salvaguarde-se a presunção de inocência dos envolvidos, aqui identificados apenas com uma inicial arbitrária e sem relação propositada com os seus nomes verdadeiros, e cujos casos ainda não foram julgados em tribunal.

O teimoso do balão

PF1680CSI_1.jpg

D. não tem mais do que 20 anos, mas já é dono de um restaurante. Tem uma personalidade forte, um ego do tamanho do mundo e a mania de que tem sempre razão. Teimoso, é como os amigos o definem. Se ele diz que quer voltar para casa a conduzir depois de ter passado a noite nos copos, não há quem o convença de que é melhor ir de táxi. “Eu é que sei!”, responde sempre.
Eram 6h da madrugada da sexta-feira passada quando os agentes da Polícia de Segurança Pública envolvidos numa operação “stop” mandaram encostar o carro quando passou pela intersecção da Avenida Marginal do Lam Mau com a Marginal do Patane. O cheiro a álcool já fazia os polícias adivinharem o que o teste do balão apenas veio confirmar: 1,8 gramas de álcool por litro de sangue.
“Impossível!”, interpôs altivo, assegurando ao agente da autoridade que não tinha bebido o suficiente para acusar aquilo tudo. “Eu é que sei o que bebi. O vosso aparelho só pode estar avariado”, alegou, afirmando estar consciente dos seus direitos e exigindo a realização da contraprova através de exame de sangue. Não se sabe se o que pretendia era ganhar tempo para que os efeitos do álcool passassem, uma vez que era preciso ir ao hospital para realizar o teste, ou se era apenas teimosia, para não dar o braço a torcer. O certo é que o tiro acabou por sair pela culatra. É que o exame ao sangue acabaria por revelar uma taxa ainda mais elevada: 1,98 g/l. “Não disse que o balão estava avariado?”, terá dito.
O registo de uma infracção anterior – excesso de velocidade – não ajudou e, levado a responder perante o Ministério Público por condução sob os efeitos do álcool, acabou por ser condenado a uma pena de três meses de prisão substituível por multa de 7200 patacas. Os amigos bem diziam que era melhor apanhar o táxi e é isso que terá de fazer durante um bom tempo, já que a sua carta de condução ficou também suspensa durante um ano e três meses.

Porteiro sofre

pf1680csi_2

O trabalho como porteiro e segurança num edifício na Estrada de Seac Pai Van, em Coloane, que X. arranjou até não é complicado. Mas há dias em que o imigrante chinês, de 37 anos, preferiria ter ficado em casa. Ontem foi um desses. Das dezenas de pessoas que vê entrar e sair do edifício durante o turno da noite, houve uma que lhe deu que fazer: um rapaz de 21 anos que vinha ter com um amigo.

“Não me lembro do andar”, terá dito o jovem, explicando que se o deixasse entrar, podia reconhecer a porta do amigo. Mas as regras de segurança do condomínio são claras: só os moradores e pessoas que estes reconheçam através do sistema de videocampainha estão autorizados a entrar. O rapaz achou que o vigilante estava a ser prepotente e respondeu com uma atitude tão malcriada que X. se viu forçado a pedir ajuda à polícia.
O agente da Polícia de Segurança Pública que acorreu ao local procedia às devidas averiguações quando o rapaz, irritado com a versão apresentada pelo porteiro, aplicou-lhe um violento murro no peito, ali mesmo nas barbas do polícia, que não teve outra alternativa senão imobilizá-lo e levá-lo para a esquadra. O segurança foi assistido no hospital e não saiu com nenhuma mazela grave. Ainda assim, o jovem teve de responder perante o Ministério Público pela agressão física.

Simpatia de agiota

pf1680csi_3

Eram meia-dúzia ao todo, todos eles muito simpáticos. Quando explicaram o sistema de empréstimo para jogo, tudo parecia simples e seguro, pelo que K. resolveu experimentar e pedir emprestados 50 mil dólares de Hong Kong (51 500 patacas), deixando como garantia 5 mil dólares de Hong Kong (5150 patacas), o passaporte, o telemóvel e a sua assinatura numa nota de dívida. E por cada aposta que ganhasse, teria de pagar 20 por cento aos credores.
Eram 20h quando chegou àquele casino na zona do Porto Exterior, no dia 13 deste mês, e quase meia-noite quando se deu por vencido depois de perder nas mesas de bacará todo o dinheiro que tinha pedido emprestado. Só conseguiu pagar 20 mil dólares de Hong Kong (20 600 patacas) aos agiotas, cuja simpatia se havia esfumado: de semblantes fechados, escoltaram o homem até ao apartamento que ele tinha alugado nas redondezas e onde dizia ter mais oito mil dólares de Hong Kong (8240 patacas) que lhes podia pagar. E teve mesmo de o fazer para que o deixassem sair em liberdade.
Inconformado pela forma como o tinham tratado, apresentou queixa na Polícia Judiciária. A polícia investigou e, no sábado, deteve um deles, ao tentar sair de Macau pelas Portas do Cerco. O suspeito teve de responder pelos crimes de agiotagem e sequestro. Os restantes cinco continuam a monte.

A fuga das patacas

pf1680csi_4

Como faz todos os dias quando sai do trabalho, R., gerente de uma loja num hotel do Cotai, antes de sair e trancar as portas, colocou o dinheiro da caixa registadora num cofre e este, dentro de uma gaveta especial, que só abre perante a marcação de um código.
No dia seguinte, os funcionários que abrem a loja depararam-se com uma situação fora do normal: a gaveta abria sem que fosse preciso marcar o código, dando a ideia de que o sistema estava avariado. Alertaram o responsável e, pouco depois, R. chegou ao estabelecimento e confirmou o que lhe tinha sido comunicado: o teclado usado para marcar o código estava danificado. Abriu o cofre e viu que nele só restavam algumas pataquinhas.
Tratou de fazer a denúncia à Polícia de Segurança Pública e, perante a necessidade de uma investigação mais aprofundada, o caso foi transferido para a Polícia Judiciária. Ao todo, estava em falta no cofre um total de cerca de 7500 patacas. A PJ está a investigar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s