Encontro de culturas lusófonas instala-se esta semana na casa dos estudantes

Tem início amanhã a Semana das Culturas Lusófonas, no colégio residencial Chao Kuang Piu. A proposta partiu da residência de estudantes da Universidade de Macau, que o Departamento de Português da instituição tratou de materializar. Inocência Mata – que vai conduzir a Noite de Cinema – está já a preparar um Ciclo de Cinema dos Países Lusófonos, que vai acontecer quinzenalmente no colégio já no próximo semestre.

hqdefault-2

Sílvia Gonçalves

Palestras, poesia, música, dança, cinema e gastronomia. A primeira edição da Lusophone Cultures Week – Semana das Culturas Lusófonas – tem início amanhã no Chao Kuang Piu College, colégio residencial dos alunos da Universidade de Macau (UMAC), e é organizada pelo Departamento de Português daquela instituição de ensino superior. Inocência Mata vai conduzir uma Noite de Cinema, onde se propõe debater com a plateia o mundo Camiliano de “Amor de Perdição”. A iniciativa constitui um primeiro passo para a concretização do projecto da professora de português da UMAC de, no segundo semestre, iniciar naquele colégio um ciclo de cinema lusófono quinzenal. A filmografia está alinhada, falta encontrar versões com legendagem em inglês.

“É a primeira vez que fazemos esta Lusophone Cultures Week. Foi um pedido do professor Liu de um colégio residencial – o Chao Kuang Piu College – porque tem muitos estudantes dos países de língua portuguesa. O professor pediu que organizássemos actividades relacionadas com os países de língua portuguesa. Vai haver palestras, vai haver poesia, vai haver um filme”, conta Inocência Mata.

O programa arranca já amanhã, às 19h30, com uma palestra conduzida por Gonçalo Cordeiro, que propõe uma incursão pelo cancioneiro de quem ousou morder os calcanhares da ditadura orquestrada por António de Oliveira Salazar: “Fausto Bordalo Dias: Revisitando a literatura e a história através do reportório português”. Para amanhã está também prevista a palestra “Uma jornada através da música e poesia portuguesas”, conduzida por Dora Gago.

Na quarta-feira, Inocência Mata apresenta, a partir das 19h30, uma Noite de Cinema, com a projecção comentada de uma adaptação fílmica de “Amor de Perdição”, a mais conhecida das obras de Camilo Castelo Branco: “É um filme que é uma adaptação de um romance português. Existe uma componente portuguesa forte e quase exclusiva nesta semana, mas em outras semanas haverá outras componentes de outros países. Tendo em conta o espírito da semana, que é precisamente essa ligação entre aquilo que nós ensinamos e aquilo que vamos divulgar, escolhi um filme que é a adaptação livre de Mário Barroso do romance de Camilo Castelo Branco, ‘Amor de Perdição’”.

Uma projecção rodeada de comentário, para entender ligações e rupturas entre a narrativa escrita e a linguagem fílmica: “Antes, contextualizar, e, depois, discutir o filme. E, possivelmente, para aqueles que leram o romance, ver quais são as diferenças, ver outros filmes que também foram adaptados de forma livre. Eles de certeza que viram ‘Romeu e Julieta’, que é uma adaptação livre, e portanto trazer o conhecimento dos alunos para comparar. Não queremos que seja uma aula, queremos que seja um espaço de entretenimento, mas em que se aprenda alguma coisa”, assinala a investigadora.

O programa prossegue na quinta-feira, às 11 horas, com a palestra: “Partilhando inspiração poética num penhasco”, por Yang Lian. A que se seguem dança africana e uma performance de piano. Às 12h15 tem início um recital de poesia que conta com a participação de Yao Jingming, poeta e Director do Departamento de Português da UMAC, e de estudantes da Associação de Caridade Tong Chai.  O dia culmina, às 13 horas, com um festival de comida lusófona. O cartaz da Semana das Culturas Lusófonas encerra na sexta-feira, com a projecção do documentário “Lives in Portuguese”, às 12 horas.

SÁBADOS DE CINEMA LUSÓFONO NO COLÉGIO

A projecção, esta semana, de “Amor de Perdição”, representa um primeiro passo para um projecto em continuidade que Inocência Mata quer implementar no Colégio Chao Kuang Piu, a pedido da residência de estudantes. “Está em curso um ciclo de cinema que estamos a preparar. Um conjunto de filmes que eu propus, dos países de língua portuguesa. Só ainda não arrancou porque nós queríamos que os filmes fossem legendados em inglês, para que outros alunos que não estudam português pudessem acompanhar”, revela a docente.

O ciclo deverá materializar-se nas noites de sábado dos estudantes: “Esta projecção de filmes vai começar no segundo semestre de forma muito regular. Vai ser quinzenal, aos sábados, para que todos os alunos desse colégio possam assistir”.

Foi a docente de português quem alinhou já um conjunto de películas: “Eu é que fiz a selecção e eu é que vou conduzir as sessões. Um filme que eu gostaria que estivesse é o ‘Njinga, Rainha de Angola’, que dá uma perspectiva da história de Angola. A ideia é conseguir uma versão legendada, gostava muito de passar esse filme”. Afinal, importa levar ao colégio filmes “que possam trazer as culturas dos países de língua portuguesa para os alunos, não ser apenas entretenimento ‘tout court’”, defende Inocência Mata.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s