Song Pek Kei diz que governantes escudam-se em “rótulos políticos e judiciais”

A deputada afirmou ontem que a população está á espera que “o Governo pare de afiar as facas e que comece a cortar”. Song Pek Kei defende que alguns membros do Executivo tomam decisões arbitrárias. Chui Sai On reconheceu que o assunto envolve questões sérias.

1-chui

João Santos Filipe

A deputada Song Pek Kei acusou ontem os membros do Governo de darem “rótulos políticos e judiciais” a algumas questões com as quais não conseguem lidar da forma eficaz. Na sessão de perguntas e respostas dos deputados ao Chefe do Executivo sobre as Linhas de Acção Governativa, a parlamentar sublinhou que as acções dos Executivo têm tido resultados decepcionantes: “As pessoas querem que o Governo pare de afiar as facas e que comece a cortar. Os residentes querem ver melhorias nas acções do Governo mas os resultados são decepcionantes. Alguns governantes tomam acções arbitrárias e depois dão rótulos políticos e judiciais na resolução dos problemas e isso não é útil”, afirmou Song Pek Kei.

“Há que começar a cortar e aprofundar a reforma administrativa para haver mais eficácia. Como é que isto vai ser feito. Não tem havido um mecanismo de reforma e muitos governantes continuam na mesma. Que mecanismos vão ser adoptados?”, questionou.

Por sua vez, Chui Sai On admitiu que os membros do Executivo têm de ser humildes e têm de ouvir constantemente a opinião da população: “Em relação à opinião da deputada Song Pek Kei, tenho de ouvir as opiniões da população. Os meus colegas merecem ser elogiados, mas quando se enganam, tenho de assumir a responsabilidade política. Oiço opiniões e aceito críticas. As que mencionou são graves”, disse Chui Sai On. “Temos de seguir as opiniões da população para que não apareçam esses problemas e depois sejam atribuídos rótulos políticos e judiciais às questões”, frisou.

O Chefe do Executivo defendeu depois que os membros do Governo como seres-humanos estão sujeitos a cometer erros, mas que o importante é estarem todos focados no objectivo de servir da melhor forma a população e permitir que Macau tenha um desenvolvimento positivo.

Também José Pereira Coutinho abordou o desempenho dos responsáveis do Governo, nomeadamente ao nível das responsabilidade assumidas pelos titulares dos altos cargos no que diz respeito aos casos denunciados pelo Comissariado de Auditoria e pelo Comissariado Contra a Corrupção e relacionados com a adjudicação de serviços: “O regime sobre as despesas dos serviços já tem vários anos [entrou em vigor em 1984] e há necessidade de adequá-lo e fazer uma revisão. Os serviços competente já começaram a revê-lo e estão a trabalhar para que no próximo ano comece a fase de auscultação”, afirmou Chui Sai On.

“Quanto aos relatórios do CA e CCAC os serviços estão a adoptar as medidas recomendadas, a aprender com os erros e a aumentar a fiscalização para a compra de bens e serviços”, explicou. “Quando houver falhas administrativas e criminais o Governo vai apurar as responsabilidades. Sempre que houver falhas as entidades deve ser responsabilizadas de acordo com a lei vigente”, acrescentou.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s