Promotor de jogo relacionado com operadora Crown detido no Continente

O junket em questão –  um cidadão chinês – foi visto pela última vez em Macau, antes de uma viagem à República Popular da China. No Continente, Tian Di foi preso por alegadamente promover actividades relacionadas com o jogo.

1478471188612.jpg

Tian Di, cidadão chinês visto pela última vez em Macau, está detido no Continente por estar envolvido no caso que envolve a operadora  australiana Crown, que resultou na detenção, na República Popular da China, de 18 empregados da empresa por promoverem actividades relacionadas com o jogo. A notícia foi avançada ontem pelo diário australiano The Sydney Morning Herald.

O junket chinês não entra na contabilização dos 18 detidos, uma vez que não é directamente empregado pela operadora. Tian Di tem colaborado nos últimos anos com a empresa de James Packer, nomeadamente nos casinos australianos, mas como trabalhador independente. Na prática leva determinados clientes VIP chineses para os casinos australianos, cobrando depois uma comissão.

“Ele desapareceu da face da terra nas últimas semanas”, disse ao jornal uma fonte próxima de Tian Di. “Há cinco semanas estava em Macau e depois regressou ao Interior da China e nunca foi mais visto”, afirmou a mesma fonte sobre o cidadão, de 58 anos.

De acordo com o mesmo artigo, Tian Di é um dos promotores de jogo independentes que mais lucros traz para a Crown, operadora que está em Macau através de uma joint-venture com a Melco, de Lawrence Ho.

O mesmo jornal contactou a filha de Tian, Sisly, para confirmar a detenção, mas a filha do milionário recusou fazer qualquer comentário, tendo depois desligado o telefone.

Tian Di não é caso único entre os promotores de jogo detidos. De acordo com a publicação, há uma empresa promotora de jogo, que não é identificada, que também  viu pelo menos dois dos seus funcionários ser detidos. A promotora em causa costumava empregar Tian Di, antes deste se lançar na sua carreira a solo.

Ainda em relação ao junket chinês, o jornal australiano avança que nasceu na cidade de Wuhan, na província de Hubei, de onde são originários alguns dos seus clientes mais importantes.

Além desta actividade, Tian Di está profundamente envolvido na indústria das corrias de cavalos na Austrália, onde detém o clube Nine Dragons. Este espaço foi adquirido em 2013 a troco de 6 milhões de dólares australianos, sensivelmente 37 milhões de patacas, e lida sobretudo com apostas no Continente chinês.

O espaço tem servido como porta de entrada para vários criadores de cavalos chineses nas corridas australianas e é gerido pela sua filha, Sisly. O clube fica situado a cerca de 40 quilómetros de Melbourne.

Segundo o The Sydney Morning Herald a acusação das autoridades chinesas, que deve ser conhecida nas próximas três semanas, deve estar ligada a crimes decorrentes da promoção de actividades relacionadas com o jogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s