Representantes das operadoras de Macau deixam China continental

1-casinos

Os representantes das operadoras de jogo de Macau na República Popular da China terão abandonado o Continente após 18 funcionários da Crown Resort terem sido detidos pelas autoridades chinesas no final da semana passada. A informação foi avançada pelo banco de investimento Credit Suisse que afirma igualmente que também o acesso ao crédito por parte dos jogadores VIP com origem na China foi limitado para reduzir os riscos de não conseguirem cobrar as dívidas posteriormente.

Até ao momento subsistema ainda várias leituras diferentes sobre o impacto do caso para o sector do jogo de Macau. No entanto, após o registo de quedas acentuadas na segunda-feira no valor das acções das operadoras do jogo no mercado de Hong Kong, ontem foi um dia de recuperação com todos os títulos a fecharem em alta. A Wynn Macau liderou o dia com um ganho de 4 por cento no valor por acção.

Apesar da recuperação, ontem a Bloomberg anunciou que depois das detenções pelos menos três empresas promotoras do jogo, conhecidas como junkets, cancelaram encontros com jogadores VIP chineses.

Porém um analista da JP Morgan Chase & Co., DS Kim, escreveu num relatório do banco de investimento que o impacto da operação deve ser limitado, visto que até ao momento não existem sinais que a operação envolva junkets ou operadores directos do território.

O mesmo relatório, que é citado pela Bloomberg, sublinha também que no ano passado houve um caso semelhante com duas operadoras das Coreia do Sul mas que também não teve impacto para Macau.

Já em relação às detenções, o proprietário da Crown Resort, James Packer, reagiu ontem pela primeira vez ao caso numa mensagem enviada ao canal australiano Channel 7: “Estou profundamente preocupado com o bem-estar dos funcionários da Crown detidos na China. Tenho procurado receber actualizações de forma regular sobre o caso e pedi à Crown para fazer todos os possíveis para contactar os nossos funcionários e apoiar as famílias, enquanto aguardamos por mais detalhes por parte das autoridades chinesas”, afirmou o australiano.

Além das operações na Austrália, a Crown é uma das principais accionistas da Melco Crown Entertainment, que controla o Studio City, Altira e City of Dreams em Macau.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s