“Portugueses em Macau, o outro lado da história” em antestreia na Casa Garden

O segundo filme da série de cinco documentários que o realizador português Carlos Fraga está a gravar sobre o território é amanhã projectado na Casa Garden. A película tem por base a vivência da comunidade portuguesa radicada em Macau.

1-fraga

O tema “Macau Português” continua a dar cartas e pano para mangas. O segundo de cinco documentários realizados por Carlos Fraga –  “Portugueses em Macau, o outro lado da história” – será exibido, amanhã, no auditório da Casa Garden. O segundo capítulo do projecto de documentarização da Macau contemporânea encetado pelo realizador aborda a portugalidade: “Em que estado é que ela está, quem a preserva, quem não, ou mesmo se se preserva”, declara o realizador.

O enredo do documentário tem por base entrevistas a portugueses expatriados em Macau, numa escolha cautelosa, orientada por uma premissa: a de transmitir de forma o mais pura possível as ideias e os pensamentos daqueles que vivem longe dos seus e experienciam, diariamente, uma cultura e costumes tão distintos como os que existem em Macau.

Carlos Fraga e Helena Madeira, produtora da série de cinco documentários que versam sobre Macau e o Oriente, com a ajuda de várias entidades portuguesas e macaenses na execução dos trabalhos: “Temos contado com bons apoios à produção em termos de serviços. Temos o apoio da Casa de Portugal, que é o parceiro principal em termos de produção, temos a Fundação Oriente, o IPOR, o Turismo de Macau e, em Portugal, a Fundação Jorge Álvares e o Instituto Confúcio. Apoios financeiros é que não são tantos como pretendemos”, revelou Helena Madeira ao PONTO FINAL.

O apoio da Casa de Portugal é, de resto, sublinhado por Carlos Fraga. O realizador define como essencial o envolvimento no projecto da organização liderada por Amélia António: “ Tivemos uma sorte muito grande por termos contactado com a Casa de Portugal, que nos brindou desde o primeiro momento e abraçou o projecto. (…) Temos tido apoio a nível de trabalho técnico e humano. Temos uma equipa que funciona connosco que é daqui [Macau]”, lembra o realizador.

Até 2019 – ano que se celebram os 20 anos da RAEM e o vigésimo aniversário do regresso do território à soberania chinesa – a série documental alternará entre Portugal e Macau. Nas palavras do realizador, “a experiência tem sido muito positiva e de alguma maneira está a abrir perspectivas que nos estimulam. Sentimo-nos muito apoiados e muito à vontade, o que é importantíssimo para desenvolver um trabalho destes”.

De momento, Carlos Fraga e Helena Madeira encontram-se no território para a exibição do documentário “Portugueses em Macau, o outro lado da história”, que ocorre amanhã na Casa Garden e para o início das filmagens do terceiro documentário da série.

Quando questionado sobre as expectativas de adesão do público na tarde de amanhã – a exibição do filmes está agendada para as 16h30 – Fraga, que vai conversar com a audiência do auditório da Casa Garden antes da projecção, responde, entre risos: “Estou convencido que a coisa vai correr bem”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s