Golfe: Ian Poulter brilha no arranque do Open de Macau

O atleta inglês, que chegou a liderar o ranking PGA, terminou o primeiro dia de competição em Coloane empatado na liderança do Open de Macau com o espanhol Carlos Pigem. Poulter esteve sem competir durante os últimos quatro meses e meio devido a uma lesão num pé.

Ian Poulter

O inglês Ian Poulter, antigo líder do ranking PGA (de Professional Golfers Association) entrou com o pé direito na edição de 2016 do Open de Macau, ao terminar o primeiro dia de hostilidades no Macau Golf and Country Club empatado na liderança da prova.

Poulter, que esteve durante os últimos quatro meses e meio afastado dos greens, terminou a primeira ronda ao relvado de Coloane empatado com o espanhol Carlos Pigem na liderança da classificação. Ambos os atletas encerraram o primeiro dia de competição com 64 pancadas, sete pancadas abaixo do par.

Pigem, que conseguiu em Julho a sua primeira vitória no Circuito Asiático, foi quem mais se evidenciou ontem no green do Macau Golf and Country Club, ao assinar um total de cinco “birdies” e um “eagle”.

O tailandês Chapchai Nirat terminou o primeiro dia de competição em Coloane na terceira posição, a uma pancada da dupla que lidera a prova. O australiano Marcus Fraser e o indiano Anirban Lahiri, que venceu o torneio há dois anos, necessitaram de 66 pancadas para cumprir a ronda inaugural ao Macau Golf and Country Club.

Apesar de não ter jogado, Poulter integrou a selecção da Europa que perdeu, no início do mês, a edição de 2016 da Ryder Cup frente aos Estados Unidos. Afastado dos relvados desde meados de Maio, o atleta inglês mostrou-se radiante com a prestação obtida em Coloane, depois de ter falhado grande parte da temporada devido a uma lesão num pé: “ Não fazia a mínima ideia do que podia esperar”, reconheceu Poulter quando confrontado pela imprensa. “Por muito que nos tentemos preparar da melhor forma possível, a verdade é que nunca tinha estado parado durante quatro meses e meio”,recorda.

“Talvez o ensinamento mais importante que retiro deste primeiro dia tenha que ver com a forma sólida como joguei. Trabalhei todas as áreas do meu jogo de forma a preparar-me para a competição e fico contente por ter entrado desta forma”, admitiu Ian Poulter.

O golfista inglês explicou ainda porque razão optou por disputar o Open de Macau em detrimento do British Masters, uma prova a contar para o Circuito Europeu da modalidade. O antigo número um mundial justifica a decisão de competir no território com a proximidade temporal entre o Open de Macau e o CIMB Classic, que decorre na próxima semana, na Malásia: “Não estou a dizer que o British Masters não é um grande evento. Pelo contrário, é uma competição gigantesca e eu disputei-a no ano passado, mas para mim, o importante é procurar manter o meu estatuto na zona onde agora vivo”, explica. “A minha intenção este ano passa por disputar dez torneios e o CIMC Classic é uma prova que me diz muito. Quero estar na Malásia no domingo à noite, que é algo que eu posso fazer sem problemas a partir de Macau. Na segunda-feira de manhã estarei fresco e, com alguma sorte, nas condições ideiais para disputar a prova”, defende.

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s