Música e poesia, uma outra forma de dar asas à língua

A Casa de Portugal atribuiu ontem a galardões aos alunos de português que mais se notabilizaram em seis estabelecimentos de ensino do território. A política de promoção da língua potenciada pelo organismo deverá continuar a passar pela promoção da poesia e da música portuguesa.

5out2016-13

Fotografia: Nuno Cortez Pinto

Marco Carvalho

A Casa de Portugal em Macau vai continuar a promover a divulgação da literatura e da poesia portuguesa, sobretudo através da aposta na música, num projecto que já resultou na gravação de três registos discográficos e que no futuro deverá abranger também uma dimensão audiovisual.

O organismo liderado por Amélia António quer avançar para a gravação de videoclips que permitam que os poemas e os temas musicados pelo projecto Sunny Side Up  cheguem a um público mais vasto. Eleita recentemente para um novo mandato à frente da maior associação de cariz português do território, a presidente da Casa de Portugal diz, no entanto, que o projecto está ainda numa fase muito embrionária: “ Eu gostava de pegar naquilo que já está musicado e eventualmente ir juntando imagem e transformá-los, pelo menos alguns deles, em videoclips. Seria outra forma de chegar a um público diferente e até talvez dar um aspecto mais apelativo ao trabalho que desenvolvemos”, assume a dirigente. “Já fizemos algumas coisas. Há experiências feitas, mas ainda não arrancamos a sério porque são projectos que exigem um certo trabalho de maturação”.

Amélia António não esconde também o desejo de ver o organismo que dirige continuar a promover a divulgação de poetas portugueses através da música, um método que, defende, pode ajudar a aproximar novos falantes da língua de Camões: “Acredito que este método é um método mais próximo das pessoas e que faz chegar a menção da língua de outra maneira: pelo ouvido, pela visão e não simplesmente pela leitura. Mais tarde essas pessoas, se calhar são conquistadas para a leitura”, defende a dirigente.

A estratégia de promoção da língua portuguesa gizada pela associação passa sobretudo pelo projecto Sunny Side Up, mas Amélia António mantém as portas da Casa abertas a outro tipo de colaboração: “Se aparecerem outros músicos com projectos interessantes e que nos possamos apoiar ou apadrinhar, nos estamos sempre abertos aquilo que nos propõem, que se apresenta como novo e que a gente reconheça que é um passo mais para o objectivo último de fazer chegar a língua portuguesa a quem não a fala por formas mais simples”, esclarece.

Amélia António tirou o véu aos planos da Casa de Portugal no que diz respeito à promoção da língua durante a cerimónia de entrega dos prémios de português a seis alunos de vários estabelecimentos de ensino do território. Entre os distinguidos estiveram dois alunos da Escola Portuguesa de Macau (um nativo, o outro não), um aluno da Instituto Politécnico, outra da Universidade de Macau, um da Universidade de Ciência e Tecnologia e um último, recomendado pela Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ). O organismo optou este ano por indicar Chan Man Kun, um jovem aluno do Colégio Wet Wah.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s