“Quem perde é o futebol de Macau”

2906 kO presidente do Benfica, Duarte Alves, acredita que o futebol fica mais pobre, com a desistência de Lam Pak, Kuan Tai e Lam Ieng da Liga de Elite. Daniel Sousa, da Associação de Futebol de Macau, acredita que a qualidade do campeonato não está em questão. A associação vai decidir até sexta-feira quais as equipas que substituem as formações desistentes. Kei Lun, Sub-23, Alfândega e Ponto 48 estão entre os clubes que poderão assumir as vagas.

Cláudia Aranda

“É pena perdermos equipas competitivas, que já estão a competir há alguns anos na Liga de Elite, qualquer que seja a razão para essa decisão. Quem perde com isso é o futebol de Macau, com certeza”. Esta foi a reacção do presidente do Benfica de Macau, Duarte Alves, à informação sobre a desistência das equipas Lam Pak, Kuan Tai e Lam Ieng do campeonato da I Divisão, também designada por Liga de Elite, de 2014.

Para já, apenas sete clubes garantiram a sua participação no campeonato, ao inscreverem-se até sexta-feira passada na Associação de Futebol de Macau (AFM), que organiza a competição: Grupo Desportivo da Polícia, Monte Carlo, Ka I, Sporting Clube de Macau – que regressa à competição após um afastamento por alguns anos  – Chao Pak Kei, Casa do Sport Lisboa e Benfica em Macau e Lai Chi.

O dirigente da AFM, Daniel Sousa, explica que as vagas vão ser preenchidas conforme o regulamento e que, “até sexta-feira desta semana” a direcção da AFM vai tomar uma decisão. “Já fizemos uma breve comunicação com os clubes que reúnem os requisitos, já temos alguns feedbacks de algumas equipas, mas ainda assim os corpos dirigentes da associação de futebol têm que se reunir para tomar uma decisão e ver quais as equipas que vão jogar na I Divisão, se vamos manter as 10 equipas ou se vamos reduzir para nove equipas a competir este ano. Tudo vai ser deliberado e decidido pela direcção”. O Kei Lun, o Sub-23, o Alfândega e o Ponto 48 poderão ser três das equipas convidadas a jogar na época de 2014 em substituição das renunciantes.

O dirigente da AFM acredita que a saída das três equipas da I Divisão não vai ter um “impacto muito grave”. Mas, lamenta a desistência do Lam Pak, que “é uma equipa tradicional”, com nove títulos conquistados nos 40 anos de existência da competição, iniciada em 1973. No entanto, de modo geral, “verificamos que há uma subida de qualidade das equipas da I Divisão e este ano esperamos que possa haver uma continuação deste progresso”, acrescenta o dirigente associativo.

Daniel Sousa acredita que o nível da competição vai manter-se graças sobretudo, à integração dos jogadores das equipas desistentes nas formações em competição. “Os atletas que jogaram na época passada no Lam Pak, Kuan Tai e Lam Ieng já foram para outras equipas que vão participar na I Divisão. Em termos de qualidade das formações que vão estar em campo podemos dizer que estes jogadores enriqueceram o plantel de algumas das equipas a jogar nesta época”, diz. Alguns destes jogadores foram distribuídos por clubes como o Ka I e o Benfica de Macau.

O presidente do Benfica, todavia, considera que a não participação das três equipas vai ter impacto na qualidade do campeonato da I Divisão este ano. “Um campeonato não é feito em duas semanas, uma equipa para a primeira divisão, ou para qualquer divisão não é feita em duas semanas e é evidente que qualquer equipa que venha substituir as equipas que infelizmente não podem participar têm um prazo muito limitado para conseguir uma equipa competitiva é dessa maneira que o futebol ou a liga de elite vai perder qualidade”, afirma Duarte Alves. Por outro lado, diz o responsável, esta ausência “vai aumentar o fosso entre as equipas que estão há mais tempo na primeira divisão e as equipas que acabam de entrar e têm menos capacidade financeiras ou menos apoios financeiros para serem competitivas”.

Ka I, Monte Carlo e Sporting rivais do Benfica

 

Para 2014 o objectivo da formação encarnada é “igualar ou ultrapassar” os resultados obtidos no ano anterior. O presidente do Benfica de Macau, recorda que o clube – que tem nome português mas é “de matriz macaense” – tem vindo a subir de qualificação nas competições locais. Em 2013 o Benfica sagrou-se campeão da taça da Associação de Futebol de Macau, tendo se qualificado em segundo lugar no campeonato da I Divisão de 2013.

Os maiores rivais do Benfica de Macau “continuam a ser os adversários do ano passado, as grandes equipas de Macau, já com muita história”, diz Duarte Alves. Entre estas equipas contam-se o Ka I, que conquistou o título por três anos consecutivos, entre 2010 e 2012, o Monte Carlo, que qualificou-se em primeiro lugar no campeonato o ano passado, e o Lam Pak, que agora abandona a competição.

Duarte Alves afirma ainda estar “muito contente” por poder incluir no grupo de adversários “a equipa do Sporting, que é mais uma equipa que tem o objectivo de ser competitiva e que vem tentar evoluir e aumentar a qualidade do futebol em Macau”.

Sobre a inclusão do Sporting Clube de Macau este ano na I Divisão, Daniel Sousa sublinha a importância da participação de mais equipas de matriz portuguesa, que faz com que o campeonato de Macau se torne “mais interessante e espectacular”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s