Mais um alegado caso de suicídio na PSP

O cadáver de um agente da PSP foi ontem encontrado em casa junto a um queimador de carvão. A Judiciária avança que se terá tratado de suicídio. É o segundo caso na corporação no espaço de um mês.

 

Stephanie Lai

 

Um polícia de 26 anos de idade foi encontrado morto na sua residência, no edifício Choi Hong Un do Istmo Ferreira do Amaral, junto a um recipiente de queima de carvão. A descoberta foi feita durante a manhã de ontem, com a Polícia Judiciária (PJ) a concluir de imediato que se tratou de suicídio, embora as causas do acto ainda estejam a ser investigadas. Os resultados preliminares não apontam para a existência de circunstâncias suspeitas que apontem para a existência de crime.

O indivíduo, de apelido Lam, era agente da Polícia de Segurança Pública (PSP). Pelas 11h de ontem, os pais do homem dirigiram-se ao apartamento deste depois de não terem tido sucesso em chegar à fala com este através do telefone. Ao encontrarem a casa trancada, contactaram os bombeiros que derrubaram a porta de entrada. Lam foi encontrado morto na sua cama, com um queimador de carvão no chão do quarto.

De acordo com Lao Wan Seong, subintendente da PSP, o homem integrava a corporação desde 2005 e, em Janeiro deste ano, tinha sido destacado para a realização de patrulhas. A força de segurança da RAEM diz não ter detectado quaisquer irregularidades no desempenho profissional do indivíduo. A PSP entende que na origem do suicídio terão estado problemas pessoais.

O caso de alegado suicídio é já o segundo no período de um mês entre os quadros da polícia. No final de Fevereiro, um outro agente da PSP, de 31 anos, foi encontrado morto no reservatório do ZAPE. O homem, de apelido Cheong, tinha sido dado como desaparecido no dia 23 do mês passado, e também desta vez a Judiciária presumiu tratar-se de suicídio.

Segundo informações prestadas pela PSP, Cheong, polícia destacado nos Serviços de Migração, entrou ao serviço da corporação em 1999. Desde Julho do ano passado trabalhava num balcão dos canais de imigração do Terminal Marítimo do Porto Exterior. A PSP indicou também não ter notado nada de estranho no comportamento do indivíduo, defendendo que a causa da morte não estaria relacionada com o trabalho.

Em resultado da morte dos dois agentes, a PSP diz estar “gravemente preocupada” com os alegados casos de suicídio dentro da corporação e referiu ontem que pretende reforçar o aconselhamento psicológico do seu pessoal para que este esteja apto a reagir a situações de stress. Instou também o pessoal de chefia a estar mais atento à saúde mental e desempenho profissional dos agentes.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s