Alargamento é a solução

Está resolvido, na justiça, o contencioso entre a Associação de Futebol de Macau e três clubes, Monte Carlo, Vá Luen e Heng Tai. A providência cautelar impediu que os dois principais campeonatos arrancassem sem a solução do caso. Resta saber qual será a reacção associativa, mas tudo aponta para o alargamento da I Divisão.

Vítor Rebelo

A justiça foi favorável aos clubes que se encontravam em diferendo com a Associação de Futebol, num movimento liderado pelo Monte Carlo, que acabou por arrastar o Vá Luen e o Heng Tai, este último pertencente ao escalão secundário.
A decisão do tribunal foi conhecida na manhã da passada quinta-feira e perante isto não é crível que os dirigentes associativos continuem a recorrer, agora para o Tribunal de Última Instância.
“A AFM pode de facto fazê-lo, recorrendo da decisão para a Última Instância. É uma questão formal, de direito, não se apurando matéria de facto”, palavras Pedro Leal, advogado dos clubes que reclamavam justiça, depois de terem sido penalizados em 2008 por não terem participado no campeonato de bolinha.
Recorde-se que Monte Carlo, Vá Luen e Heng Tai, se recusaram a fazer a inscrição no “futebol em miniatura” por discordarem dos regulamentos impostos pelos membros da Associação.
A AFM decidiu então punir as três equipas com multa de dez mil patacas, o que todos se recusaram.
Seriam então suspensos de todas as provas organizadas pela Associação de Futebol de Macau, quer futebol de onze, quer da bolinha.
Iniciou-se, a partir daí, um movimento de contestação, liderado pelo presidente do Monte Carlo, Firmino Mendonça, com a entrada de uma acção judicial, que agora parece terminada a seu favor.

Questão resolvida

Na temporada passada, o “trio de contestatários” não foi a tempo de parar os campeonatos, que estavam praticamente já em curso.
Desta feita, com mais tempo para os juízes decidirem, as provas principais, I e II, tiveram de aguardar pela decisão da justiça. E ela aí está.
“Agora não haverá volta a dar, a Associação faz o campeonato ou não. Se começar vai decorrer mais tarde do que é habitual, mas já com a questão resolvida”, disse Pedro leal, que tem acompanhado todo este processo, ele que é uma pessoa ligada ao desporto há vários anos. Foi jurista do Instituto de Desporto de Macau, praticante de râguebi e actualmente presidente da Associação de Râguebi do território.
“Penso que se fez justiça, pois desde o princípio que os três clubes se apresentaram com razão, face ao diferendo com a AFM. Agora, Monte Carlo, Vá Luen e Heng Tai, ganharam o direito a entrar nas erspectivas divisões, já neste próximo campeonato.”

Notificação é hoje

Provavelmente no decorrer do dia de hoje, a Associação de Futebol será notificada da decisão do tribunal, partilhada por três juízes, tendo dois votado a favor dos clubes e um contra.
“A partir da notificação a AFM tem 10 dias para reclamar, apresentando recurso para a Última Instância. Penso que não há grande interesse em protelar o arranque do campeonato.”
PONTO FINAL contactou um dirigente da Associação de Futebol de Macau, que referiu nada saber em termos oficiais.
“Ainda não fomos notificados e só depois disso é que vamos decidir o que fazer no que diz respeito aos campeonatos deste ano.”

Eleições este ano

Quem reagiu da melhor forma foi Firmino Mendonça, presidente do Monte Carlo:
“Estou naturalmente satisfeito, mas isto só veio provar, como eu esperava, que a razão estava do nosso lado. Fez-se justiça e só espero agora que estes dirigentes abandonem o poder nas próximas eleições, já este ano. Estou muito desiludido com esta equipa de Cheong Coc Veng e por isso espero que sejam substituidos nas eleições que se avizinham.”
Questionado sobre se ele próprio irá comandar uma lista de oposição, Mendonça sorriu e disse que para já não está nos seus planos:
“Ninguém me convidou, mas o que eu espero é que apareçam mais listas para tomar conta dos destinos da Associação de Futebol de Macau.”

Alargamento é bom

O Monte Carlo, se se confirmar a sua reentrada na I Divisão, depois de ter sido campeão em 2008, vai, segundo o seu presidente, fazer a respectiva inscrição no escalão principal, “ainda que reconheça que não é para lutar pelo título, mas apenas para manter a equipa entre os melhores e depois sim, tentar no futuro organizar um bom plantel para voltar a lutar pelos primeiros lugares.”
Para Firmino Mendonça, caso se venha a confirmar a hipótese, mais provável, de alargamento para dez equipas na I Divisão, “a prova ganhará com isso, será mais competitiva e haverá mais jogos, ainda que se tenha de colocar a questão dos campos.”
Chan Man Kin, treinador do campeão Lam Pak, também receia que a falta de recintos venha a complicar ainda mais esta situação:
“O futebol de Macau está cheio de problemas e continua. Um possível alargamento é bom, mas a falta de estádios dificulta o desenvolvimento. Vamos aguardar.”

São clubes a mais

Tam Iao San, actual técnico da selecção de Sub 18, jovens que subiram este ano à II Divisão, era o treinador do Monte Carlo na altura do últmo título:
“Esta decisão é boa para o Monte Carlo, que assim regressa à I Divisão e é um clube com prestígio para estar entre os melhores.”
Mas o também jornalista televisivo não está de acordo com um alargamento para dez equipas:
“Penso que é demais para a qualidade do futebol do território, principalmente porque os jovens continuam a ficar de fora das equipas do escalão principal. Há muitos veteranos a alinhar nos clubes da I Divisão e não entra sangue novo. Ainda por cima o campeonato de juniores já não se realiza há dois anos e isso prejudica o desenvolvimento do futebol de Macau. Como é que se pode estar a gora a pensar em alargar a I Divisão? Na minha opinião oito clubes chegam.”

Solução coerente

Rui Cardoso, técnico de uma dos principais candidatos ao título no próximo campeonato, o Ka I, tem igualmente a sua opinião:
“Acho que o alargamento é a solução mais coerente. Para o ano, então se a associação quiser voltar a diminuir, descerão quatro clubes da I Divisão. Há mais jogos e isso é sempre bom para quem gosta de futebol. Só espero que não façam muitas paragens.”
Para o também monitor das escolas da Casa do Benfica de Macau, “o Monte Carlo merece estar na I Divisão, pois tem um nome a defender. Julgo que vai voltar a lutar pelos primeiros lugares do campeonato, apostando como sempre em jovens valores.”

Campos existem

Relativamente à tão falada falta de recintos para o futebol, Cardoso é peremptório:
“Há três estádios em Macau e desde que sejam destinados ao futebol (e não a outros acontecimentos extra-desporto), dão perfeitamente para a modalidade. Isso não pode servir de desculpa para uma possível decisão de não alargar a I Divisão para dez formações. Tudo depende com que olhos vemos o futebol em Macau.”
Nos próximos dias de saberá qual a reacção dos dirigentes da Associação de Futebol de Macau.
De qualquer modo, se realmente o campeonato for para a frente e não houver mais diferendos, tudo aponta para que se comecem a dar os primeiros pontapés na bola da época de 2010, depois das celebrações do ano novo lunar.

One comment

  1. Olá Gostaria de saber como esta o andamento do campeonato esse ano .. Se jás tem data certa para começar e sobre o caso Monte Carlo Ok ? Abradeço atenção ..
    Aguardo resposta

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s