Jogadores de rastos…

A selecção de futebol do escalão júnior não tem sido o “bombo da festa” do  costume. E até ganhou um jogo, ao Laos, por 4-3. Quatro golos de Hang. Atletas não aguentam prova cansativa.Vietname é o último adversário e aí pode haver goleada.

Vítor Rebelo
rebelo20@macau.ctm.net

Trata-se de um dos grupos mais cansativos dos últimos tempos, em termos de qualificações asiáticas das camadas jovens do futebol.
Macau tem de defrontar cinco adversários num curto espaço de tempo, situação para a qual não está minimamente habituado e pouco preparado.
Acontece à selecção de futebol da categoria de sub-19, que disputa uma das séries de apuramento para o Campeonato da Ásia de 2010, mais uma vez sem qualquer ambição de seguir em frente.
Ao contrário do que é habitual, o grupo de qualificação integra seis selecções, para somente os dois primeiros passarem à fase final da competição.
Coreia do Sul e Vietname são os mais fortes candidatos, o que aliás têm confirmado, numa altura em que a série se aproxima do fim.
No que diz respeito aos jovens da RAEM, treinados por Tam Iao San, já conseguiram ganhar uma partida, diante do Laos e pela margem mínima, 4-3.
Foi um jogo interessante, entre duas equipas do mais baixo ranking internacional, que procuraram a vitória desde os primeiros minutos.
Estava possivelmente em jogo o derradeiro lugar do grupo e por isso uma questão de prestígio.

Máximo em campo

A formação do território já tinha antes defrontado e perdido com Tailândia e Coreia do Sul (3-0 e 5-1, respectivamente), tentando finalmente chegar a um resultado mais favorável, pelo menos mais equilibrado.
Foi o que sucedeu face ao Laos e os jogadores de Macau corresponderam, apesar de se notar uma quebra física evidente.
Segundo o treinador, “os jogadores deram o máximo nesta partida, pois sabiam que era um jogo em que poderiam ganhar”.
Ao intervalo a formação da RAEM ganhava por 1-0, golo apontado por Leong Ka Hang aos 13 minutos.
A vantagem dava um ânimo acrescido aos jogadores de Macau que, na segunda metade, sentiram grandes dificuldades para manter o mesmo nível da primeira, já que o Laos passou a arriscar muito mais.
Mas mesmo assim, a selecção macaense deu boa conta de si e procurou a sorte, que chegou já em período de compensações.

Hang goleador

O resto da história é esta: Macau fez o 2-0 aos 47 minutos pelo “miúdo” do jogo, Leong Ka Hang, uma vez que ele apontou todos os quatro tentos da equipa. Foi determinante a sua experiência, uma vez que integra a selecção de sub-23 que se prepara para os Jogos da Ásia Oriental, em Dezembro próximo em Hong Kong.
O Laos pressionou bastante e fez 2-2, aos 52 e 55 minutos. Macau elevou para 3-2, numa grande penalidade aos 84 minutos.
O jogo parecia decidido, mas aos 90 o Laos marcou o terceiro e aos 92 a RAEM chegou à vitória, numa partida espectacular, embora sem grandes primores técnicos.
“Só ganhámos este encontro porque os jogadores lutaram muito até aos derradeiros segundos. Cumpriram com o que tínhamos estabelecido e não cometemos tantos erros como habitualmente. Por isso foi mais fácil, mesmo com alguma sorte, atingir os três pontos”, declarações de Tam Iao San ao PONTO FINAL.
Como curiosidade, aqui fica o onze inicial deste jogo frente ao Laos: Liu Kin Chou, Lei Ka Him, Henrique Afonso Ho Pereira, Sio Ka Un, João Trigo Coimbra, Leong Ka Hang, Pang Chi Hang, Tang Hou Fai, António Eduardo Tong, Lei Kam Hou e Kou Ut Cheong.
Actuaram ainda Loi Wai Hong e Vinício de Jesus Morais Alves. Não saíram do banco de suplentes, Chao Wai Fong, Ao Ieong Kin, Miguel André Lo, Choi Weng Hou, Weng To Kuok, Ngan Kai Tek e Ho Ka Seng.

Derrota tangencial

Depois desta vitória, que fica para a história dos confrontos internacionais, uma vez que há muitos anos que Macau não conseguia ganhar uma partida a este nível, a selecção de Macau defrontou outro dos adversários da “mesma igualha”, o Bangladesh.
Voltou a haver equilíbrio, mas agora a sorte não esteve tanto ao lado da formação do território, até porque a preparação física já não era a mesma.
O Bangladesh havia perdido apenas por 1-0 diante do Vietname e por isso já se esperavam dificuldades.
Mesmo assim, Macau só perdeu por 3-2 e teve oportunidades de golo para chegar ao empate.
“Demos uma boa imagem, o que também é importante neste tipo de competições asiáticas, provando alguma melhoria”, referiu o treinador, para quem o maior problema vai ser agora, amanhã, o Vietname, último adversário desta campanha.
É que a equipa está esgotada.

Vietname no fecho

Tam Iao San teve três dias, depois do embate com o Bangladesh, para fazer descansar o plantel e é bem possível que vá colocar em campo alguns dos jogadores até aqui menos utilizados. Até porque estão mais frescos fisicamente.
“O Vietname é bastante forte e está aqui para apostar na qualificação para a fase final do Asiático de Sub-19. Ganharam aos coreanos e vão precisar de golos frente à nossa equipa. Isto porque há a Tailândia e a Coreia do Sul igualmente empenhados na luta pelos dois primeiros lugares.”

Balanço é positivo

De referir que a selecção jovem de Macau iniciou este grupo, que tem estado a decorrer nos estádios tailandeses de Banguecoque, precisamente face ao conjunto da casa, com quem perdeu por 3-0.
Acusou, na estreia, um ambiente a que não está acostumado, com muita gente nas bancadas, uma vez que se tratava da equipa organizadora.
Depois, na segunda ronda, a derrota mais pesada até agora, 5-1 com a Coreia do Sul, onde a condição física se fez notar e ditou a diferença, apesar do superior tecnicismo do adversário.
“O balanço, mesmo antes do jogo face ao Vietname, já é positivo, com uma vitória e a fuga ao derradeiro lugar do grupo. Mas é na verdade uma prova muito desgastante, com cinco desafios em pouco tempo, a que os nossos jogadores não estão habituados. Até porque em Macau não há competição a sério a este nível de camadas jovens.”
A comitiva regressa a casa na próxima quinta-feira.

China muito forte

Outros jogos se têm entretanto realizado. A contar para esta fase de qualificação para o Campeonato da Ásia de Sub 19, portanto com os jogadores actualmente com idades até 18 anos.
Há vários grupos, destacando-se um em que estão incluídas formações favoritas, como República Popular da China e Coreia do Norte.
Os chineses golearam as Filipinas por 13-0 e Guam por 8-0.
Os norte-coreanos ultrapassaram Guam por 11-1 e Filipinas por 8-0.
Mas na série há mais um candidato a ir em frente, a Malásia, que só perdeu por 2-1 no confronto com a Coreia do Norte.
De resto, Jordânia e Iémen já asseguraram o passaporte para a fase final, tendo ocupado os dois primeiros postos do Grupo A, enquanto Qatar, Emirados Árabes Unidos e Síria, comandam em igualdade pontual o Grupo B e Iraque e Arábia Saudita também estão a par no Grupo C.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s