Gabinete de Gestão de Crises do Turismo da RAEM atento à situação

1304Pedro Lobo e a família estavam num dos mais populares centros comerciais de Banguecoque quando estalou a confusão. “Mandaram as pessoas sair e fecharam as lojas. Quando saímos estava uma grande confusão. Viemos para o hotel e aqui a situação está calma.”
O professor da Escola Portuguesa de Macau é um dos residentes do território que aproveitou as férias da Páscoa para ir até à Tailândia e falava ao PONTO FINAL ao princípio da noite de ontem. No mesmo hotel da capital está outra família de portugueses. Um grupo de finalistas da EPM encontra-se em Koh Samui e voa hoje para Banguecoque.
Pedro Lobo foi surpreendido pela declaração do estado de emergência na cidade tailandesa um dia antes de regressar a Macau. “Na zona do nosso hotel, na margem sul do rio, a situação está calma. Mas as coisas ‘aqueceram’ bastante no centro da cidade”, relatou.
Do táxi entre o centro comercial e o hotel, o professor viu tropas na rua, no meio do caos em que a capital tailandesa se foi transformando. “O trânsito estava parado, o comércio fechado, as ruas começaram a ficar desertas.”
Confinados ao hotel por causa do recolher obrigatório, os turistas acompanhavam a situação através da televisão. À hora de fecho desta edição, era grande a expectativa em relação às medidas que as autoridades tailandesas iriam tomar para reagir às manifestações violentas protagonizadas pelos “camisas vermelhas”, nome como são conhecidos os apoiantes do ex-chefe de Governo no exílio Thaksin Shinawatra.
“Já há tropas na rua, mas está-se agora a ver se o Governo avança ou não contra os ‘camisas vermelhas’. A situação acalmou um bocado, vamos acompanhando o que se está a passar pela televisão tailandesa”, referiu ainda Pedro Lobo.
Entretanto, em nota enviada à imprensa, o Gabinete de Gestão de Crises do Turismo de Macau (GGCT) informou que não foram activadas medidas de emergência, uma vez que os aeroportos da Tailândia estão a funcionar dentro da normalidade. Porém, assegura que vai continuar a acompanhar a situação e o desenvolvimento dos acontecimentos, para poder responder de imediato caso seja necessário.
O GGCT tem a indicação de que são 200 os residentes de Macau que viajaram até à Tailândia. O número foi fornecido pela agências de viagens e diz respeito a seis grupos.
Quanto aos turistas que viajam sem recorrerem a uma agência, o gabinete não tem possibilidades de fazer uma estimativa do número de residentes de Macau em solo tailandês, mas tem uma linha a funcionar 24 horas por dia: 853-28333000. Ontem não tinha sido feito qualquer pedido de assistência.
“A situação actual não representa qualquer perigo imediato para os turistas, por isso, não existe necessidade de accionar quaisquer medidas de emergência no momento”, frisa o gabinete.

Isabel Castro

Leave a Reply

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s